Vice-governador quer rigor na fiscalização das obras do PIIM

  • Obras Muxico
Cabinda – O vice-governador de Cabinda para o sector político e social, Miguel dos Santos Oliveira, solicitou terça-feira maior rigor às empresas de fiscalização das obras em curso inseridas no Programa Integrado de Intervenção nos Município (PIIM).

Intervindo na cerimónia de apresentação do novo administrador municipal de Buco-Zau, Oscar Dilo, Miguel dos Santos Oliveira solicitou igualmente rigor às empresas de construção no cumprimento dos prazos acordados e qualidade das obras.

“As obras do PIIM devem merecer atenção da administração municipal, para que as mesmas venham a obedecer os prazos acordados na sua execução, bem como a qualidade para a sua durabilidade”, justificou.

Instou o novo administrador de Buzo-Zau no sentido de empreender esforços com vista à melhoria da oferta de água potável às populações, fornecimento de energia eléctrica, bem como a reabilitação das vias terciárias, para garantir o escoamento dos produtos do campo para cidade.

Por seu turno, o novo administrador referiu que vai imprimir uma governação participativa, visando a melhoria das condições sociais das populações.

Oscar Dilo substitui no cargo José Macaia, que exerceu o cargo durante vários anos.

O município de Buco-Zau possui terras férteis, recursos hídricos, madeira, ouro e outras potencialidades que fazem deste território uma zona de tracção económica da província.

É limitado a norte pelo Congo Brazaville, a leste pelo município de Belize, a sul e oeste pelo município de Cacongo e conta com duas comunas, Nhunca e Necuto.

A população tem como principal actividade a agricultura familiar, caça e pesca artesanal.

 

Intervindo na cerimónia de apresentação do novo administrador municipal de Buco-Zau, Oscar Dilo, Miguel dos Santos Oliveira solicitou igualmente rigor às empresas de construção no cumprimento dos prazos acordados e qualidade das obras.

“As obras do PIIM devem merecer atenção da administração municipal, para que as mesmas venham a obedecer os prazos acordados na sua execução, bem como a qualidade para a sua durabilidade”, justificou.

Instou o novo administrador de Buzo-Zau no sentido de empreender esforços com vista à melhoria da oferta de água potável às populações, fornecimento de energia eléctrica, bem como a reabilitação das vias terciárias, para garantir o escoamento dos produtos do campo para cidade.

Por seu turno, o novo administrador referiu que vai imprimir uma governação participativa, visando a melhoria das condições sociais das populações.

Oscar Dilo substitui no cargo José Macaia, que exerceu o cargo durante vários anos.

O município de Buco-Zau possui terras férteis, recursos hídricos, madeira, ouro e outras potencialidades que fazem deste território uma zona de tracção económica da província.

É limitado a norte pelo Congo Brazaville, a leste pelo município de Belize, a sul e oeste pelo município de Cacongo e conta com duas comunas, Nhunca e Necuto.

A população tem como principal actividade a agricultura familiar, caça e pesca artesanal.