Calulo obtém sub-estação de energia eléctrica

  • Energia
Calulo – Uma nova sub-estação de distribuição de energia eléctrica em Calulo, município do Libolo (Cuanza Sul), entrou esta segunda-feira, em operação, com potência instalada de 40 MVA, contra 30 Kilovolts.

A construção da sub-estação de 60 KV/30-40 MVA iniciou em Outubro de 2018 e permitiu a instalação de 19 postos de transformação (PT) de 400 volts cada, renovação de seis outros, bem como a colocação de quatro mil contadores pré-pagos, dos 12 mil previstos.

No acto de inauguração o secretário de Estado para a Energia, Bessa Manuel da Costa, destacou que a construção da sub-estação visa melhorar as condições de vida dos cidadãos.

“Calulo era antes abastecido por uma linha de 30 Kilovolts, a partir da Barragem Hidroeléctrica de Cambambe (Cuanza Norte)", disse.

Na ocasião, o governador provincial do Cuanza Sul, Job Capapinha, enalteceu o trabalho realizado, para a instalação da sub-estação.

Avançou que estão cadastradas 43 fazendas que, doravante, com a nova capacidade de energia instalada, poderão montar unidades fabris.

Instou as autoridades locais a preservação e conservação e a denunciarem os actos de vandalismo, para a devida responsabilização.

A província do Cuanza Sul conta com sete sub-estações, designadamente as do Alto Chingo (Sumbe), Cachoeira, da Gabela, Dala Cachibo, na Quibala, do Wacu-Cungo e a actual que interligam sete dos 12 municípios da província.

 Apesar dos municípios do Amboím, Porto-Amboím e Sumbe receberem energia eléctrica da sub-estação eléctrica da Gabela, a partir da Estação Hidroeléctrica de Cambambe, desde 18 de Dezembro de 2007, a mesma está a ser modernizada.

Iniciado em 2018, o processo está a ser executado pela Rede Nacional de Transporte de Electricidade -E.P (RNT), com a instalação de transformadores de 220/60 quilovolts (KV), com potência de 60 megawatts (MVA), contra os 35 MVA da antiga rede de distribuição.

Tratam-se de dois transformadores de 220/60 KV, com  potência de 60 MVA, um outro de 60/30 KV, com potência de 20 MVA, bem como um posto de seccionamento (PS), de 30 KV.

A requalificação desta unidade visa dar maior robustez ao sistema e melhorar a distribuição da electricidade à cidade da Gabela e periferia

Sub-estação da Quibala

O município da Quibala está interligado a rede nacional de energia eléctrica, desde Setembro de 2020, por uma sub-estação móvel, através de uma linha de alta tensão do sistema eléctrico norte (Barragem Hidroeléctrica de Laúca).

A sub-estação tem uma capacidade de 220/30 KV-10 MVA, alimentada por uma linha de alta tensão ligada a sub-estação do Wacu Cungo.

A mesma linha tem 333 torres que liga a sub-estação do Wacu Cungo a Quibala, num percurso de 116 quilómetros.

A distribuição para a população local e fazendas está a ser feita através de cinco postos de transformação (PT).

Pelo menos três mil e 200 consumidores já estão ligados a rede pública de energia, num projecto em execução há seis meses, em que o governo desembolsou dois milhões e 500 mil dólares.

Sub-estação da Wacu Cungo

Neste município assinalam-se dois momentos, um em que a sub-estação do Wacu Cungo (450 Megawatt) distribui energia para as províncias do Huambo e Bié e a outro para o município da Cela.

Os primeiros testes para o fornecimento de energia eléctrica à cidade do Wacu Cungo iniciaram em Fevereiro de 2019, via Barragem Hidroeléctrica de Laúca.

A sub-estação, sub-dividida em três de 400, 220 e 60 Kilovolts (KV), recebe energia eléctrica das barragens de Laúca e de Cambambe, para abastecer as províncias do centro e sul do país.

Já a sub-estação eléctrica do Wacu Cungo está a receber 60 Megawatts de energia da Barragem de Laúca e a distribuir para os consumidores 16 megawatts.

O Governo pretende, até 2022, electrificar os municípios do Mussende, além de encontrar soluções para os municípios do Ebo, Quilenda, Seles e Conda, todos localizados na província do Cuanza Sul, através da rede nacional.

A construção da sub-estação de 60 KV/30-40 MVA iniciou em Outubro de 2018 e permitiu a instalação de 19 postos de transformação (PT) de 400 volts cada, renovação de seis outros, bem como a colocação de quatro mil contadores pré-pagos, dos 12 mil previstos.

No acto de inauguração o secretário de Estado para a Energia, Bessa Manuel da Costa, destacou que a construção da sub-estação visa melhorar as condições de vida dos cidadãos.

“Calulo era antes abastecido por uma linha de 30 Kilovolts, a partir da Barragem Hidroeléctrica de Cambambe (Cuanza Norte)", disse.

Na ocasião, o governador provincial do Cuanza Sul, Job Capapinha, enalteceu o trabalho realizado, para a instalação da sub-estação.

Avançou que estão cadastradas 43 fazendas que, doravante, com a nova capacidade de energia instalada, poderão montar unidades fabris.

Instou as autoridades locais a preservação e conservação e a denunciarem os actos de vandalismo, para a devida responsabilização.

A província do Cuanza Sul conta com sete sub-estações, designadamente as do Alto Chingo (Sumbe), Cachoeira, da Gabela, Dala Cachibo, na Quibala, do Wacu-Cungo e a actual que interligam sete dos 12 municípios da província.

 Apesar dos municípios do Amboím, Porto-Amboím e Sumbe receberem energia eléctrica da sub-estação eléctrica da Gabela, a partir da Estação Hidroeléctrica de Cambambe, desde 18 de Dezembro de 2007, a mesma está a ser modernizada.

Iniciado em 2018, o processo está a ser executado pela Rede Nacional de Transporte de Electricidade -E.P (RNT), com a instalação de transformadores de 220/60 quilovolts (KV), com potência de 60 megawatts (MVA), contra os 35 MVA da antiga rede de distribuição.

Tratam-se de dois transformadores de 220/60 KV, com  potência de 60 MVA, um outro de 60/30 KV, com potência de 20 MVA, bem como um posto de seccionamento (PS), de 30 KV.

A requalificação desta unidade visa dar maior robustez ao sistema e melhorar a distribuição da electricidade à cidade da Gabela e periferia

Sub-estação da Quibala

O município da Quibala está interligado a rede nacional de energia eléctrica, desde Setembro de 2020, por uma sub-estação móvel, através de uma linha de alta tensão do sistema eléctrico norte (Barragem Hidroeléctrica de Laúca).

A sub-estação tem uma capacidade de 220/30 KV-10 MVA, alimentada por uma linha de alta tensão ligada a sub-estação do Wacu Cungo.

A mesma linha tem 333 torres que liga a sub-estação do Wacu Cungo a Quibala, num percurso de 116 quilómetros.

A distribuição para a população local e fazendas está a ser feita através de cinco postos de transformação (PT).

Pelo menos três mil e 200 consumidores já estão ligados a rede pública de energia, num projecto em execução há seis meses, em que o governo desembolsou dois milhões e 500 mil dólares.

Sub-estação da Wacu Cungo

Neste município assinalam-se dois momentos, um em que a sub-estação do Wacu Cungo (450 Megawatt) distribui energia para as províncias do Huambo e Bié e a outro para o município da Cela.

Os primeiros testes para o fornecimento de energia eléctrica à cidade do Wacu Cungo iniciaram em Fevereiro de 2019, via Barragem Hidroeléctrica de Laúca.

A sub-estação, sub-dividida em três de 400, 220 e 60 Kilovolts (KV), recebe energia eléctrica das barragens de Laúca e de Cambambe, para abastecer as províncias do centro e sul do país.

Já a sub-estação eléctrica do Wacu Cungo está a receber 60 Megawatts de energia da Barragem de Laúca e a distribuir para os consumidores 16 megawatts.

O Governo pretende, até 2022, electrificar os municípios do Mussende, além de encontrar soluções para os municípios do Ebo, Quilenda, Seles e Conda, todos localizados na província do Cuanza Sul, através da rede nacional.