CENFFOR forma mais 30 técnicos no domínio pedagógico

  • Fachada do Centro de Formacão Profissional do Cazenga
Luanda – Trinta e um formadores de formadores terminaram, nesta segunda-feira, em Luanda, um curso no domínio pedagógico, conteúdo para dar resposta aos desafios do Centro Nacional de Formadores de Formadores (CENFFOR), tutelado pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP).

No âmbito do projecto de Revitalização do Ensino Técnico e Formação Profissional (RETFOP) foram definidas várias actividades ligadas ao Sistema Nacional de Formação Profissional, dentre a qual a designada actividade 221, que visa formar 30 formadores de formadores no domínio pedagógico.

As actividades do projecto RETFOP incidir-se-ão apenas a seis províncias, designadamente, Luanda, Benguela, Huambo, Huíla, Moxico e Uíge.

Para a actividade 221, foram seleccionados formadores de formadores da área de formação do INEFOP, da estrutura central do CENFFOR e dos núcleos de formadores das províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Huíla e Uíge. A província do Moxico foi excluída devido a falta de candidatos com perfil exigido para a frequência desta acção formativa.

Na ocasião, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias, garantiu que todo aprendizado se reflectirá no dia-a-dia da formação no país, uma vez que o presente ciclo formativo através do recurso as tecnologias de informação foi concluído com êxitos.

A ministra instou a União Europeia (UE) no sentido de continuar a abraçar as diferentes iniciativas do Executivo destinadas  a melhoria da qualidade da formação.

“O contexto é bastante desafiador pela existência não só da pandemia da Covid-19, mas também da actual crise económica e financeira”, disse.

Para a ministra, o RETFOP deve continuar a progressão para o cumprimento da programação existente, nomeadamente a realização da formação técnica nos meses de Maio e Junho do corrente ano.

Para a embaixadora da UE,  Jeannette Seppen, Angola com o crescimento populacional e com a política do governo em relação a diversificação economia a formação profissional continua a jogar um papel essencial na criação de empregos para os jovens no sector privado e público e no desenvolvimento de outros sectores não económico.

Segundo a representante da UE, a implementação de formação de quadros tem a sua importância na parceria entre a UE e Angola, por ser um sector prioritário para a UE e a concretização de um compromisso no âmbito do acordo “Caminho Conjunto”.

Explicou que o referido acordo inclui a criação de emprego e diversificação económica da Aliança Africana e Europa, para um investimento e empregos sustentáveis, no quadro da agenda 20-30 das Nações Unidas e em particular dos objectivos do desenvolvimento sustentável nº8.

Participaram da formação, que decorreu de 8 a 22 do corrente mês, técnicos das províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Huíla e Uíge, com o apoio de formadores de França.

No âmbito do projecto de Revitalização do Ensino Técnico e Formação Profissional (RETFOP) foram definidas várias actividades ligadas ao Sistema Nacional de Formação Profissional, dentre a qual a designada actividade 221, que visa formar 30 formadores de formadores no domínio pedagógico.

As actividades do projecto RETFOP incidir-se-ão apenas a seis províncias, designadamente, Luanda, Benguela, Huambo, Huíla, Moxico e Uíge.

Para a actividade 221, foram seleccionados formadores de formadores da área de formação do INEFOP, da estrutura central do CENFFOR e dos núcleos de formadores das províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Huíla e Uíge. A província do Moxico foi excluída devido a falta de candidatos com perfil exigido para a frequência desta acção formativa.

Na ocasião, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias, garantiu que todo aprendizado se reflectirá no dia-a-dia da formação no país, uma vez que o presente ciclo formativo através do recurso as tecnologias de informação foi concluído com êxitos.

A ministra instou a União Europeia (UE) no sentido de continuar a abraçar as diferentes iniciativas do Executivo destinadas  a melhoria da qualidade da formação.

“O contexto é bastante desafiador pela existência não só da pandemia da Covid-19, mas também da actual crise económica e financeira”, disse.

Para a ministra, o RETFOP deve continuar a progressão para o cumprimento da programação existente, nomeadamente a realização da formação técnica nos meses de Maio e Junho do corrente ano.

Para a embaixadora da UE,  Jeannette Seppen, Angola com o crescimento populacional e com a política do governo em relação a diversificação economia a formação profissional continua a jogar um papel essencial na criação de empregos para os jovens no sector privado e público e no desenvolvimento de outros sectores não económico.

Segundo a representante da UE, a implementação de formação de quadros tem a sua importância na parceria entre a UE e Angola, por ser um sector prioritário para a UE e a concretização de um compromisso no âmbito do acordo “Caminho Conjunto”.

Explicou que o referido acordo inclui a criação de emprego e diversificação económica da Aliança Africana e Europa, para um investimento e empregos sustentáveis, no quadro da agenda 20-30 das Nações Unidas e em particular dos objectivos do desenvolvimento sustentável nº8.

Participaram da formação, que decorreu de 8 a 22 do corrente mês, técnicos das províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Huíla e Uíge, com o apoio de formadores de França.