Famílias vulneráveis recebem ajuda alimentar na Chibia

  • Huila: Vista parcial do Municipal da Chibia
Chibia – Quatrocentas e cinquenta famílias vulneráveis devido a seca, no município da Chibia (Huíla), receberam, nos últimos sete dias, 23 toneladas de bens alimentares diversos.

O programa de apoio, que mobilizou o país para atender à causa da população que se encontra em situação de fome causada pela longa estiagem, está direccionado para atender as províncias da Huíla, Namibe e Cunene, uma iniciativa, que até Março do ano em curso, tinha mobilizado 500 toneladas de bens diversos.

Das 23 toneladas de produtos, doados pela Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA), no âmbito do programa do Grupo Técnico Empresarial (GTE), constam milho, peixe seco, óleo e massa alimentar, açúcar e sal, que estão a ser distribuídas, desde a semana finda, nas comunas da Quihita, Jau, Capunda Cavilongo e sede.

Em declarações segunda-feira à ANGOP, o presidente do Conselho Fiscal da CCGSA, Abel da Costa, afirmou que a Chibia está a receber pouca quantidade de alimentos, mas a coordenação da campanha de doação vai reflectir melhor e redefinir estratégias de distribuição para que todos beneficiem.

Adiantou que o “entusiasmo dos empresários envolvidos na causa é contagiante”, pois estão a aparecer cada vez mais empresas a oferecerem alguma coisa, em apoio a iniciativa.

A Chibia tem uma população estimada em 235 mil 874 habitantes, dos quais 94 mil foram afectados pela seca.

O programa de apoio, que mobilizou o país para atender à causa da população que se encontra em situação de fome causada pela longa estiagem, está direccionado para atender as províncias da Huíla, Namibe e Cunene, uma iniciativa, que até Março do ano em curso, tinha mobilizado 500 toneladas de bens diversos.

Das 23 toneladas de produtos, doados pela Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA), no âmbito do programa do Grupo Técnico Empresarial (GTE), constam milho, peixe seco, óleo e massa alimentar, açúcar e sal, que estão a ser distribuídas, desde a semana finda, nas comunas da Quihita, Jau, Capunda Cavilongo e sede.

Em declarações segunda-feira à ANGOP, o presidente do Conselho Fiscal da CCGSA, Abel da Costa, afirmou que a Chibia está a receber pouca quantidade de alimentos, mas a coordenação da campanha de doação vai reflectir melhor e redefinir estratégias de distribuição para que todos beneficiem.

Adiantou que o “entusiasmo dos empresários envolvidos na causa é contagiante”, pois estão a aparecer cada vez mais empresas a oferecerem alguma coisa, em apoio a iniciativa.

A Chibia tem uma população estimada em 235 mil 874 habitantes, dos quais 94 mil foram afectados pela seca.