Chuva causa quatro mortes e três desaparecidos em Luanda

 
  
  • Chuva dificulta a circulação de viaturas em Viana
Luanda - Quatro mortos, três desaparecidos e 554 residências inundadas, que deixaram duas mil e 770 pessoas desalojadas, é o balanço provisório feito pelo Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) da chuva que caiu terça-feira sobre Luanda.

Segundo o porta-voz do Serviço provincial de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Faustino Minguês, em declarações nesta quarta-feira à Angop, as mortes registaram-se nos municípios de Luanda, Viana e Cacuaco, sendo duas por electrocussão e outras duas que aconteceram quando as vitimas foram arrastadas pela forte corrente das águas.    

Faustino Minguês adiantou que a chuva, que iniciou às 09h15 às 12h30, causou ainda o transbordo de algumas bacias de retenção e de contenção das águas pluviais, queda de postes eléctricos e de sete árvores, algumas sobre viaturas.

A obstrução das linhas de água, devido aos resíduos sólidos arrastados pela água, obrigou os bombeiros a abrir algumas linhas de passagem de formas a permitir que a água, retida em algumas vias e residências, tomasse o seu curso normal, esclareceu.

Em consequência da chuva, que causou vários prejuízos e engarrafamentos em diversas artérias da capital do país, relatos das redes sociais indicam que algumas viaturas foram vandalizadas e assaltadas, principalmente na rua Pedro de Castro Van-dunén, no município do Kilamba Kiaxi e do Talatona, enquanto chovia.

Com uma população estimada em mais de sete milhões de habitantes, fazem parte da província de Luanda, o município com o mesmo nome, bem como os do Cazenga, Viana, Belas, Cacuaco, Kilamba Kiaxi, Talatona, Icolo e Bengo e Quiçama.

 

 

 

Segundo o porta-voz do Serviço provincial de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Faustino Minguês, em declarações nesta quarta-feira à Angop, as mortes registaram-se nos municípios de Luanda, Viana e Cacuaco, sendo duas por electrocussão e outras duas que aconteceram quando as vitimas foram arrastadas pela forte corrente das águas.    

Faustino Minguês adiantou que a chuva, que iniciou às 09h15 às 12h30, causou ainda o transbordo de algumas bacias de retenção e de contenção das águas pluviais, queda de postes eléctricos e de sete árvores, algumas sobre viaturas.

A obstrução das linhas de água, devido aos resíduos sólidos arrastados pela água, obrigou os bombeiros a abrir algumas linhas de passagem de formas a permitir que a água, retida em algumas vias e residências, tomasse o seu curso normal, esclareceu.

Em consequência da chuva, que causou vários prejuízos e engarrafamentos em diversas artérias da capital do país, relatos das redes sociais indicam que algumas viaturas foram vandalizadas e assaltadas, principalmente na rua Pedro de Castro Van-dunén, no município do Kilamba Kiaxi e do Talatona, enquanto chovia.

Com uma população estimada em mais de sete milhões de habitantes, fazem parte da província de Luanda, o município com o mesmo nome, bem como os do Cazenga, Viana, Belas, Cacuaco, Kilamba Kiaxi, Talatona, Icolo e Bengo e Quiçama.