CICA sensibiliza mulheres para campanha de limpeza em Luanda

  • Lixo nas ruas  de Luanda
Luanda - Para a combater o lixo e  contribuir na limpeza da capital do país, mais cinco mil mulheres cristãs de várias congregações religiosas participam, no próximo sábado, 10, numa campanha nas ruas de Luanda.

Segundo a líder da Igreja Teosófica Espíritas, Suzeth João, que falava à imprensa a propósito, é fundamental juntar sinergias para ajudar no combate ao lixo.

De acordo com a profetiza, o lixo é um inimigo da saúde, razão pela qual cada igreja vai unir os fiéis e limpar a sua zona de jurisdição.

"A intenção é juntarmo-nos ao Governo em prol do bem-estar e da saúde dos munícipes e da preservação do meio ambiente", ressaltou.

Para a secretária geral do CICA, Deolinda Dorca Tecas, está acção visa sensibilizar as mulheres cristãs, sem olhar para a denominação religiosa.

Conforme a religiosa, por ser uma campanha de limpeza de grande escala, o Governo Provincial de Luanda (GPL) vai apoiar com meios (pá, carros de mão e vassouras).

A província de Luanda produz, diariamente, pelo menos seis mil 800 toneladas de resíduos sólidos, que eram recolhidos, até 2020, por seis operadoras de limpeza. 

Segundo a líder da Igreja Teosófica Espíritas, Suzeth João, que falava à imprensa a propósito, é fundamental juntar sinergias para ajudar no combate ao lixo.

De acordo com a profetiza, o lixo é um inimigo da saúde, razão pela qual cada igreja vai unir os fiéis e limpar a sua zona de jurisdição.

"A intenção é juntarmo-nos ao Governo em prol do bem-estar e da saúde dos munícipes e da preservação do meio ambiente", ressaltou.

Para a secretária geral do CICA, Deolinda Dorca Tecas, está acção visa sensibilizar as mulheres cristãs, sem olhar para a denominação religiosa.

Conforme a religiosa, por ser uma campanha de limpeza de grande escala, o Governo Provincial de Luanda (GPL) vai apoiar com meios (pá, carros de mão e vassouras).

A província de Luanda produz, diariamente, pelo menos seis mil 800 toneladas de resíduos sólidos, que eram recolhidos, até 2020, por seis operadoras de limpeza.