Cinco municípios de Luanda privados do fornecimento de água

  • Cunene: Empresa de água e saneamento
Luanda – Cinco municípios da província de Luanda estão privados do fornecimento de água potável devido às consequências das fortes chuvas na zona da nascente do rio Kwanza.

De acordo com uma nota da Empresa Pública de Águas (EPAL-EP), distribuída esta segunda-feira à ANGOP,  como consequência das chuvas a água bruta tem chegado as Estações de Tratamento com elevado teor de matéria orgânica.

As equipas técnicas da instituição (EPAL) estão a monitorar a qualidade da água de todas as estações, a fim de certificarem os seus parâmetros  (qualidade) e, posteriormente, restabelecer o normal abastecimento de água, de forma gradual.

A EPAL informa, por outro lado, que para garantir a qualidade de água potável, a taxa de tratamento de produtos químicos seria superior ao recomendável pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Zonas afectadas

Trata-se dos municípios de Viana, Kilamba Kiaxi e Talatona (em toda extensão), e os distritos urbanos da Maianga, Samba e uma parte de Ingombota (município de Luanda) e Belas (excepto a Cidade do Kilamba).

O documento realça, igualmente, que a EPAL entendeu paralisar as Estações de Tratamento de Água do Luanda Sul, Luanda Sudeste, Kikuxi, 1, Kikuxi 2 e Calumbo.

 

De acordo com uma nota da Empresa Pública de Águas (EPAL-EP), distribuída esta segunda-feira à ANGOP,  como consequência das chuvas a água bruta tem chegado as Estações de Tratamento com elevado teor de matéria orgânica.

As equipas técnicas da instituição (EPAL) estão a monitorar a qualidade da água de todas as estações, a fim de certificarem os seus parâmetros  (qualidade) e, posteriormente, restabelecer o normal abastecimento de água, de forma gradual.

A EPAL informa, por outro lado, que para garantir a qualidade de água potável, a taxa de tratamento de produtos químicos seria superior ao recomendável pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Zonas afectadas

Trata-se dos municípios de Viana, Kilamba Kiaxi e Talatona (em toda extensão), e os distritos urbanos da Maianga, Samba e uma parte de Ingombota (município de Luanda) e Belas (excepto a Cidade do Kilamba).

O documento realça, igualmente, que a EPAL entendeu paralisar as Estações de Tratamento de Água do Luanda Sul, Luanda Sudeste, Kikuxi, 1, Kikuxi 2 e Calumbo.