Circulação na passagem alternativa sobre o rio Cutembo novamente interdita

Benguela - A circulação rodoviária na passagem alternativa sobre o rio Cutembo, na divisória entre as províncias de Benguela e da Huíla, encontra-se novamente interdita devido às fortes chuva registada nas últimas horas, soube hoje, quinta-feira, a ANGOP.

Segundo a Rádio Benguela, neste momento mais de 300 viaturas e respectivos ocupantes encontram-se retidos nos dois sentidos da estrada nacional nº 105, esperando pela reparação da referida via.   

Segundo o administrador municipal adjunto do Chongoroi, Afonso Mahato, houve mais um incidente na noite desta quarta-feira (25) em função das fortes quedas pluviométricas que se abateram sobre a região, que aumentou o caudal do rio e danificou a passagem hidráulica instalada no local.

Por essa razão, continuou, a circulação está novamente cortada, enquanto aguarda-se por uma intervenção técnica para se ultrapassar a situação.

“A empresa Conduril e o Instituto Nacional de Estradas de Angola estão já no local a fazer um levantamento para se ultrapassar o problema”, acrescentou.

Ainda no princípio do corrente mês, a mesma passagem alternativa havia já sofrido sérios danos devido às chuva, tendo também provocado o corte da circulação entre as duas províncias (Benguela e Huíla).

Entretanto, as obras de construção de uma nova ponte definitiva de betão sobre o rio Cutembo encontram-se a bom ritmo, prevendo-se a sua conclusão em 2021.

Segundo a Rádio Benguela, neste momento mais de 300 viaturas e respectivos ocupantes encontram-se retidos nos dois sentidos da estrada nacional nº 105, esperando pela reparação da referida via.   

Segundo o administrador municipal adjunto do Chongoroi, Afonso Mahato, houve mais um incidente na noite desta quarta-feira (25) em função das fortes quedas pluviométricas que se abateram sobre a região, que aumentou o caudal do rio e danificou a passagem hidráulica instalada no local.

Por essa razão, continuou, a circulação está novamente cortada, enquanto aguarda-se por uma intervenção técnica para se ultrapassar a situação.

“A empresa Conduril e o Instituto Nacional de Estradas de Angola estão já no local a fazer um levantamento para se ultrapassar o problema”, acrescentou.

Ainda no princípio do corrente mês, a mesma passagem alternativa havia já sofrido sérios danos devido às chuva, tendo também provocado o corte da circulação entre as duas províncias (Benguela e Huíla).

Entretanto, as obras de construção de uma nova ponte definitiva de betão sobre o rio Cutembo encontram-se a bom ritmo, prevendo-se a sua conclusão em 2021.