Comissões de moradores devem participar activamente no combate ao lixo

Cuito - O governador provincial do Bié, Pereira Alfredo, quer uma participação mais activa das comissões de moradores e população no geral na recolha dos resíduos sólidos, de modo a melhorar o saneamento básico nas cidades, sobretudo na periferia.

Em declarações à imprensa, na cidade do Cuito, o governante considerou que a problemática da higiene nas comunidades deve ser tarefa de todos, e não somente do Estado.

Sem revelar as quantidades e valores empregues, esclareceu ainda que o governo da província traçou um programa de aquisição de meios para combater focos de lixo nas cidades e bairros periféricos.

Entre os meios constam contentores, tractores e carrinhas para transportação do lixo, assim como botas, luvas e outros meios de protecção individual, actualmente já distribuídos ao nível dos nove municípios.

O governador Pereira Alfredo convidou, no entanto, as comissões de moradores no sentido de estarem cada vez mais envolvidas na sensibilização da população, informando a importância de depositar o lixo nos contentores, e em outros locais indicados pelas autoridades.

No entender do governante, muitas doenças que afectam as famílias são associadas ao défice da higiene nas comunidades, por isso aconselhou os pais e encarregados de educação a não mandarem crianças para depositar o lixo, já que, além de perigar a saúde, geralmente colocam-no no chão em vez dos contentores.

Além dos serviços básicos da administração municipal, na cidade do Cuito, por exemplo, intervêm na recolha do lixo as empresas Nova Huíla, Epocoloco, V. S Lda e Caitazinho.

Com um milhão e 700 mil habitantes, a província do Bié produz em média 90 mil metros cúbicos de resíduos sólidos por ano e o processo de recolha e gestão ainda é artesanal, o que está a criar insalubridade em zonas urbanas.

Em declarações à imprensa, na cidade do Cuito, o governante considerou que a problemática da higiene nas comunidades deve ser tarefa de todos, e não somente do Estado.

Sem revelar as quantidades e valores empregues, esclareceu ainda que o governo da província traçou um programa de aquisição de meios para combater focos de lixo nas cidades e bairros periféricos.

Entre os meios constam contentores, tractores e carrinhas para transportação do lixo, assim como botas, luvas e outros meios de protecção individual, actualmente já distribuídos ao nível dos nove municípios.

O governador Pereira Alfredo convidou, no entanto, as comissões de moradores no sentido de estarem cada vez mais envolvidas na sensibilização da população, informando a importância de depositar o lixo nos contentores, e em outros locais indicados pelas autoridades.

No entender do governante, muitas doenças que afectam as famílias são associadas ao défice da higiene nas comunidades, por isso aconselhou os pais e encarregados de educação a não mandarem crianças para depositar o lixo, já que, além de perigar a saúde, geralmente colocam-no no chão em vez dos contentores.

Além dos serviços básicos da administração municipal, na cidade do Cuito, por exemplo, intervêm na recolha do lixo as empresas Nova Huíla, Epocoloco, V. S Lda e Caitazinho.

Com um milhão e 700 mil habitantes, a província do Bié produz em média 90 mil metros cúbicos de resíduos sólidos por ano e o processo de recolha e gestão ainda é artesanal, o que está a criar insalubridade em zonas urbanas.