Conselho da Família recomenda maior protecção às crianças de rua

Cuito - O conselho municipal da família do Cuito, na província do Bié, recomendou hoje, nesta cidade, às autoridades locais, a criação de políticas de maior protecção às crianças de rua, como forma de se fazer cumprir os onze compromissos dos petizes.

Segundo o comunicado final saído do primeiro encontro deste organismo, realizado nesta quinta-feira, a presença de crianças na rua, na condição de pedintes, tem vindo a crescer nos últimos tempos, por isso os participantes defendem a formulação de medidas para maior controlo dos petizes, que, na sua maioria, fogem dos seus encarregados por maus-tratos.

O administrador do Cuito, Abel Guerra Paulo, que orientou o acto, informou que a administração tem um plano, com auxílio do Instituto Nacional da Criança (INAC) e do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género, que já permitiu reunificar dez crianças, de Janeiro à presente data.

Abordado pela ANGOP no final do certame, o padre da Igreja Católica, Peniel Nilú, disse ser necessário apostar na tolerância, para se recuperar o diálogo entre pais e filhos, para se edificar as famílias.

Já o pastor da Igreja Assembleia de Deus Petecostal no Bié, Frederico Sassoma, que dissertou na ocasião uma palestra subordinada ao tema “problemáticas da desestruturação das famílias”, disse ser necessário que os pais e encarregados de educação assumem cada vez mais o seu compromisso de condução e gestão dos seus membros, através do reforço de interacção e comunicação.

Segundo o comunicado final saído do primeiro encontro deste organismo, realizado nesta quinta-feira, a presença de crianças na rua, na condição de pedintes, tem vindo a crescer nos últimos tempos, por isso os participantes defendem a formulação de medidas para maior controlo dos petizes, que, na sua maioria, fogem dos seus encarregados por maus-tratos.

O administrador do Cuito, Abel Guerra Paulo, que orientou o acto, informou que a administração tem um plano, com auxílio do Instituto Nacional da Criança (INAC) e do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género, que já permitiu reunificar dez crianças, de Janeiro à presente data.

Abordado pela ANGOP no final do certame, o padre da Igreja Católica, Peniel Nilú, disse ser necessário apostar na tolerância, para se recuperar o diálogo entre pais e filhos, para se edificar as famílias.

Já o pastor da Igreja Assembleia de Deus Petecostal no Bié, Frederico Sassoma, que dissertou na ocasião uma palestra subordinada ao tema “problemáticas da desestruturação das famílias”, disse ser necessário que os pais e encarregados de educação assumem cada vez mais o seu compromisso de condução e gestão dos seus membros, através do reforço de interacção e comunicação.