Consultor defende envolvimento da sociedade civil nos programas públicos

Huambo - O consultor independente João Calão Figueiredo defendeu hoje, quinta-feira, no Huambo, o envolvimento da sociedade civil na elaboração e implementação dos programas de investimentos públicos.

Segundo João calão Figueiredo, que falava no Workshop sobre “Formulação e implementação dos programas públicos”, promovido pela Organização Não-governamental Acção para o Desenvolvimento Rural de Ambiente  (ADRA), a participação da sociedade irá garantir a eficácia e eficiência dos programas públicos na melhoria das condições sociais.

Sustentou que este envolvimento vai definir as melhores estratégias para a implementação destes programas, mediante participação, sugestões e contribuições sobre as decisões tomadas de forma incompleta.

Nesta perspectiva, João Calão Figueiredo disse que a participação da sociedade civil deve ser tida em conta desde a formação da agenda das instituições governamentais sobre a formação das políticas, tomada de decisões, implementação ou execução e avaliação  dos projectos públicos.

Já a técnica da área de implementação de projectos da ADRA, Maria Natália Firmino, fez saber que o Workshop serviu para analisar os mecanismos de governação participativa para a mudança das condições de vida da população.

Por sua vez, o administrador adjunto do município do Huambo para as Infra-estruturas e Serviços Comunitários, Marques da Silva, destacou o contributo da ADRA nas acções de promoção do desenvolvimento local, social, económico e ambiental.

Estiveram no evento várias personalidades ligadas ao poder político e tradicional, membros da sociedade civil, entidades religiosas e académicos.

Segundo João calão Figueiredo, que falava no Workshop sobre “Formulação e implementação dos programas públicos”, promovido pela Organização Não-governamental Acção para o Desenvolvimento Rural de Ambiente  (ADRA), a participação da sociedade irá garantir a eficácia e eficiência dos programas públicos na melhoria das condições sociais.

Sustentou que este envolvimento vai definir as melhores estratégias para a implementação destes programas, mediante participação, sugestões e contribuições sobre as decisões tomadas de forma incompleta.

Nesta perspectiva, João Calão Figueiredo disse que a participação da sociedade civil deve ser tida em conta desde a formação da agenda das instituições governamentais sobre a formação das políticas, tomada de decisões, implementação ou execução e avaliação  dos projectos públicos.

Já a técnica da área de implementação de projectos da ADRA, Maria Natália Firmino, fez saber que o Workshop serviu para analisar os mecanismos de governação participativa para a mudança das condições de vida da população.

Por sua vez, o administrador adjunto do município do Huambo para as Infra-estruturas e Serviços Comunitários, Marques da Silva, destacou o contributo da ADRA nas acções de promoção do desenvolvimento local, social, económico e ambiental.

Estiveram no evento várias personalidades ligadas ao poder político e tradicional, membros da sociedade civil, entidades religiosas e académicos.