World Vision executa projectos em prol da criança

Menongue - A organização não governamental World Vision está a executar, desde Abril de 2020, projectos sociais nas províncias do Cuando Cubango, Namibe, Cunene e da Huíla, em benefício de 960 crianças.

Os projectos, que irão estender-se entre dois a quatro meses, contemplam acções ligadas à protecção e implementação de direitos da criança, nutrição, reabilitação e implementação de furos de água, bem como a vertente de disseminação de informação por meio de palestras e debates, nas províncias onde residem as crianças.

A informação foi avançada sexta-feira, à ANGOP, pelo representante da World Vision e oficial de protecção no projecto de resposta à seca naa região Sul do país, Henriques Calanzas, no final do ciclo de palestras sobre a implementação e cumprimento dos 11 compromissos a favor da criança.

Já a chefe dos Serviços Provinciais do INAC no Cuando Cubango Lérias Biwango, disse que, sem fazer dados comparativos, três casos de abuso sexual de menores foram registados pelo Instituto Nacional da Criança, em 2020.

No mesmo período houve o registo de 16 casos de abandono de criança, igual número de exploração do trabalho infantil, 13 casos de fuga a paternidade, 23 casos de maus-tratos e três casos de disputa de menor de idade.

O responsável aponta para um trabalho afincado na disseminação da informação sobre direitos e deveres, assim como procedimentos a encarar quando se sentirem lesadas.

Durante o certame, foram abordadas matérias relacionadas com o “trabalho em rede/novo paradigma, fluxos e parâmetros (abuso sexual e maus tratos) ”, “gravidez e casamento precoce à luz do Direito Positivo”, esperança de vida ao nascer, “igualdade do género e protecção infantil”, bem como “trabalho com os meios de comunicação social em matéria de divulgação e tratamento de casos que envolvem crianças”.

Os projectos, que irão estender-se entre dois a quatro meses, contemplam acções ligadas à protecção e implementação de direitos da criança, nutrição, reabilitação e implementação de furos de água, bem como a vertente de disseminação de informação por meio de palestras e debates, nas províncias onde residem as crianças.

A informação foi avançada sexta-feira, à ANGOP, pelo representante da World Vision e oficial de protecção no projecto de resposta à seca naa região Sul do país, Henriques Calanzas, no final do ciclo de palestras sobre a implementação e cumprimento dos 11 compromissos a favor da criança.

Já a chefe dos Serviços Provinciais do INAC no Cuando Cubango Lérias Biwango, disse que, sem fazer dados comparativos, três casos de abuso sexual de menores foram registados pelo Instituto Nacional da Criança, em 2020.

No mesmo período houve o registo de 16 casos de abandono de criança, igual número de exploração do trabalho infantil, 13 casos de fuga a paternidade, 23 casos de maus-tratos e três casos de disputa de menor de idade.

O responsável aponta para um trabalho afincado na disseminação da informação sobre direitos e deveres, assim como procedimentos a encarar quando se sentirem lesadas.

Durante o certame, foram abordadas matérias relacionadas com o “trabalho em rede/novo paradigma, fluxos e parâmetros (abuso sexual e maus tratos) ”, “gravidez e casamento precoce à luz do Direito Positivo”, esperança de vida ao nascer, “igualdade do género e protecção infantil”, bem como “trabalho com os meios de comunicação social em matéria de divulgação e tratamento de casos que envolvem crianças”.