Sinistrados no Dondo vão receber terrenos para auto construção

  • Governador do Cuanza Norte, Adriano Mendes de Carvalho, inteira-se das consequências da chuva (ARQUIVO)
Cambambe - Lotes de terrenos para a auto-construção dirigida serão distribuídos às famílias vítimas das chuvas, na cidade do Dondo, informou o administrador para a Área Técnica e Infra-Estruturas, Jerson Miguel.

De acordo com o responsável, cada família vai receber entre 300 metros a 400 metros quadrados, numa área de 12 hectares, no bairro 10 de Agosto, a cinco quilómetros da cidade do Dondo.

Em declarações à ANGOP, disse que a  distribuição será antecedida de limpeza da área, que se encontra coberta de capim.

A chuva de 08 de Maio destruiu  90 residências e inundou mil e 200 habitações, deixando ao relento cerca de oito mil pessoas.

A chuva provocou, também, a destruição do dique de contenção e o transbordo do rio Capacala, deixando submersa a zona Dois do bairro Cacesse, um dos mais populosos da cidade do Dondo, com mais de 20 mil habitantes.

O dique de contenção com mais de mil metros de extensão não beneficiava de obras de manutenção desde 2005, segundo avançou o vice-governador do Cuanza Norte para a área  técnica, Mendonça Luís.

Entre as áreas afectadas estão, igualmente, dezenas de instituições públicas e privadas, entre as quais a representação do Instituto Nacional de Segurança Social, o Magistério Primário do Dondo e duas agências bancárias.

 

De acordo com o responsável, cada família vai receber entre 300 metros a 400 metros quadrados, numa área de 12 hectares, no bairro 10 de Agosto, a cinco quilómetros da cidade do Dondo.

Em declarações à ANGOP, disse que a  distribuição será antecedida de limpeza da área, que se encontra coberta de capim.

A chuva de 08 de Maio destruiu  90 residências e inundou mil e 200 habitações, deixando ao relento cerca de oito mil pessoas.

A chuva provocou, também, a destruição do dique de contenção e o transbordo do rio Capacala, deixando submersa a zona Dois do bairro Cacesse, um dos mais populosos da cidade do Dondo, com mais de 20 mil habitantes.

O dique de contenção com mais de mil metros de extensão não beneficiava de obras de manutenção desde 2005, segundo avançou o vice-governador do Cuanza Norte para a área  técnica, Mendonça Luís.

Entre as áreas afectadas estão, igualmente, dezenas de instituições públicas e privadas, entre as quais a representação do Instituto Nacional de Segurança Social, o Magistério Primário do Dondo e duas agências bancárias.