Duas pessoas morrem em acidente de viação no Morro do Chingo

  • Acidente de viação no Morro do Chingo, províncoa do Cuanza Sul
Sumbe – Duas pessoas morreram na noite desta quarta-feira, após o capotamento de um camião que descia o Morro do Chingo, arredores da cidade do Sumbe, província do Cuanza Sul, constatou a ANGOP.

O camião, que transportava cimento, era proveniente de Luanda com destino a Benguela, segundo um motorista de um outro veículo com o mesmo produto, que seguia em caravana.

A fonte revelou que o colega, falecido, foi advertido enquanto abasteciam as viaturas no Porto Amboim para que não continuasse a viagem em virtude da falha de travões notada na sua viatura, mas ignorou os avisos.

“Estamos em caravana e eu disse a ele que recebi orientações para que não descesse o Chingo, mas como ele seguia à frente de nós, não obedeceu”, relatou, aos prantos.

O  morro do Chingo é uma inclinação de 10 por cento à entrada da cidade do Sumbe, na estrada nacional nº 100, uma das mais importantes vias rodoviárias que liga Angola de norte a sul.

Em virtude dos sucessivos acidentes no local, os populares da localidade apelam ao governo que construa uma estrada exclusiva para camiões, fora do centro da cidade do Sumbe, para prevenir mortes, como acontece frequentemente.

“É difícil terminar um mês sem acidente neste morro e no mesmo local. Nós vivemos aqui com muito medo e sentimos muito pelas inúmeras vidas que se perdem anualmente aqui”, desabafou Alfredo Pedro, morador das encostas do morro.

Outro cidadão, Miguel Antão, também é de opinião que essa estrada seja apenas para viaturas ligeiras, já que só camiões carregados tombam no local.

Recentemente, aquando de um outro acidente, no mesmo local, o 2º sub-chefe de trânsito Matias Felizardo aconselhou os automobilistas a realizarem manutenção periódica das suas viaturas e a reforçarem a atenção ao descerem o Chingo, cuja inclinação é perigosa.

O camião, que transportava cimento, era proveniente de Luanda com destino a Benguela, segundo um motorista de um outro veículo com o mesmo produto, que seguia em caravana.

A fonte revelou que o colega, falecido, foi advertido enquanto abasteciam as viaturas no Porto Amboim para que não continuasse a viagem em virtude da falha de travões notada na sua viatura, mas ignorou os avisos.

“Estamos em caravana e eu disse a ele que recebi orientações para que não descesse o Chingo, mas como ele seguia à frente de nós, não obedeceu”, relatou, aos prantos.

O  morro do Chingo é uma inclinação de 10 por cento à entrada da cidade do Sumbe, na estrada nacional nº 100, uma das mais importantes vias rodoviárias que liga Angola de norte a sul.

Em virtude dos sucessivos acidentes no local, os populares da localidade apelam ao governo que construa uma estrada exclusiva para camiões, fora do centro da cidade do Sumbe, para prevenir mortes, como acontece frequentemente.

“É difícil terminar um mês sem acidente neste morro e no mesmo local. Nós vivemos aqui com muito medo e sentimos muito pelas inúmeras vidas que se perdem anualmente aqui”, desabafou Alfredo Pedro, morador das encostas do morro.

Outro cidadão, Miguel Antão, também é de opinião que essa estrada seja apenas para viaturas ligeiras, já que só camiões carregados tombam no local.

Recentemente, aquando de um outro acidente, no mesmo local, o 2º sub-chefe de trânsito Matias Felizardo aconselhou os automobilistas a realizarem manutenção periódica das suas viaturas e a reforçarem a atenção ao descerem o Chingo, cuja inclinação é perigosa.