PIIM aplica AKz 4 mil milhões na reabilitação do sistema de água da Gabela

  • Reservatórios do sistema de distribuição de águas do Balombo
Sumbe – O Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) disponibilizou quatro mil milhões de kwanzas para a reabilitação e ampliação do sistema de água na cidade da Gabela, província do Cuanza Sul, que passará de 100 para 1.800 metros cúbicos, soube hoje a ANGOP.

A empreitada, que aguarda pela adjudicação, visa a concepção/construção do sistema de abastecimento de água à cidade da Gabela, incluindo a obra correspondente à elaboração do projecto de execução, construção da captação a partir do rio Chilo num percurso de 25 quilómetros.

Constam igualmente das acções, já transitada para a contratação pública no qual concorrem oito empreiteiras, o fornecimento e execução da adutora gravítica até a Estação de Tratamento de Água (ETA) actual, sua ampliação e reabilitação da rede de distribuição.

O director do gabinete provincial dos serviços técnicos e infra-estruturas, Heitor Alfredo, que anunciou a disponibilização dos valores, afirmou que o município do Amboim torna-se o que mais concretizou os orçamentos disponíveis, num total de 5,3  mil milhões de kwanzas.

As obras do PIIM para a província do Cuanza Sul estão orçadas em 35,2 mil milhões de kwanzas.

Instado sobre este projecto, o director municipal da energia e águas no Amboim, Yasser Afonso Paulo, confirmou a realização da abertura de oito propostas do concurso público que visa a execução física e disponibilidade financeira para construção do sistema de água para a cidade da Gabela.

Disse que ao longo dos 25 quilómetros será estendido tubagem de 600 milímetros, porém a ampliação da ETA será parcial, visto que o financiamento não cobre as despesas globais dos estudos efectuados pela Direcção Nacional das Águas.

“ É um projecto que permitirá a distribuição de água potável para 279 mil e 807 habitantes que devido a problemas cíclicos têm passado por momentos menos bons para a obtenção de água”, rematou.

Fez saber que a ETA actual está concebida para satisfazer cinco mil habitantes obrigando muitas vezes a redução até 50 por cento das distribuição associado ao baixo caudal do rio Huía.

A cidade da Gabela conta com 693 ligações domiciliares mas apenas 360 consumidores cadastrados pagam regularmente as taxas de água bem como 100 chafarizes distribuídos na zona peri-urbana.

Avançou que devido ao baixo caudal do rio está a ser bombeado 60 metros cúbicos de água por hora.

O actual sistema tem capacidade para 100 metros cúbicos por hora que por gravidade são distribuídos para dois tanques de 300 metros cúbicos cada e três outros de 70 metros cúbicos, 350 metros cúbicos.

 

A empreitada, que aguarda pela adjudicação, visa a concepção/construção do sistema de abastecimento de água à cidade da Gabela, incluindo a obra correspondente à elaboração do projecto de execução, construção da captação a partir do rio Chilo num percurso de 25 quilómetros.

Constam igualmente das acções, já transitada para a contratação pública no qual concorrem oito empreiteiras, o fornecimento e execução da adutora gravítica até a Estação de Tratamento de Água (ETA) actual, sua ampliação e reabilitação da rede de distribuição.

O director do gabinete provincial dos serviços técnicos e infra-estruturas, Heitor Alfredo, que anunciou a disponibilização dos valores, afirmou que o município do Amboim torna-se o que mais concretizou os orçamentos disponíveis, num total de 5,3  mil milhões de kwanzas.

As obras do PIIM para a província do Cuanza Sul estão orçadas em 35,2 mil milhões de kwanzas.

Instado sobre este projecto, o director municipal da energia e águas no Amboim, Yasser Afonso Paulo, confirmou a realização da abertura de oito propostas do concurso público que visa a execução física e disponibilidade financeira para construção do sistema de água para a cidade da Gabela.

Disse que ao longo dos 25 quilómetros será estendido tubagem de 600 milímetros, porém a ampliação da ETA será parcial, visto que o financiamento não cobre as despesas globais dos estudos efectuados pela Direcção Nacional das Águas.

“ É um projecto que permitirá a distribuição de água potável para 279 mil e 807 habitantes que devido a problemas cíclicos têm passado por momentos menos bons para a obtenção de água”, rematou.

Fez saber que a ETA actual está concebida para satisfazer cinco mil habitantes obrigando muitas vezes a redução até 50 por cento das distribuição associado ao baixo caudal do rio Huía.

A cidade da Gabela conta com 693 ligações domiciliares mas apenas 360 consumidores cadastrados pagam regularmente as taxas de água bem como 100 chafarizes distribuídos na zona peri-urbana.

Avançou que devido ao baixo caudal do rio está a ser bombeado 60 metros cúbicos de água por hora.

O actual sistema tem capacidade para 100 metros cúbicos por hora que por gravidade são distribuídos para dois tanques de 300 metros cúbicos cada e três outros de 70 metros cúbicos, 350 metros cúbicos.