Formandos do Inefop preferem curso de Electricidade

  • Centro Polivalente de Formacão Profissional
Lubango - O curso de Electricidade de Baixa Tensão foi o mais procurado, este ano, no Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP) na província da Huíla, representando 25% da preferência dos formandos.

A instituição tem matriculado 812 formandos, mais 631 em relação a 2019, que estão a frequentar as aulas desde 21 de Setembro deste ano.

Os formandos do Inefop estão a frequentar os cursos em seis centros de formação profissional dos municípios do Cuvango, Matala, Chicomba e Lubango.

Além da Electricidade, o Inefop na província da Huíla conta com os cursos de Carpintaria, Canalização, Contabilidade Informática, Corte e Costura, Cozinha e Pastelaria, Energias Renováveis, Mecânica de automóveis, Construção Civil, Serralharia, Soldadura, Torneiro Mecânico e atendedor de Mesa e Bar.

Em declarações hoje, segunda-feira, à Angop, na cidade do Lubango, a chefe de Secção de Emprego e Formação Profissional do Inefop, Fernanda Luzia, disse que a procura pelo curso de Electricidade de Baixa Tensão tem aumentado, porque segundo os formandos há mais facilidade de empreender no ramo.

Fez saber que as unidades formativas foram apetrechadas com material de biossegurança como termómetros, álcool em gel, viseiras e máscaras faciais, como de uso obrigatório para prevenção à pandemia da Covid-19.

Disse que a instituição está a desenvolver outros projectos profissionais, enquadrados no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND-2018-2022), que abrangem o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE), em benefício de jovens inscritos em cursos de empreendedorismo.

Lembrou que decorre desde Outubro de 2019 um projecto formativo denominado “Saber fazer em desenvolvimento”, realizado em parceria com o Fundo da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que beneficia cem jovens desde Outubro de 2019.

Desde a sua institucionalização em 2002, o Inefop já formou mais de 17 mil cidadãos em distintas especialidades.

A instituição tem matriculado 812 formandos, mais 631 em relação a 2019, que estão a frequentar as aulas desde 21 de Setembro deste ano.

Os formandos do Inefop estão a frequentar os cursos em seis centros de formação profissional dos municípios do Cuvango, Matala, Chicomba e Lubango.

Além da Electricidade, o Inefop na província da Huíla conta com os cursos de Carpintaria, Canalização, Contabilidade Informática, Corte e Costura, Cozinha e Pastelaria, Energias Renováveis, Mecânica de automóveis, Construção Civil, Serralharia, Soldadura, Torneiro Mecânico e atendedor de Mesa e Bar.

Em declarações hoje, segunda-feira, à Angop, na cidade do Lubango, a chefe de Secção de Emprego e Formação Profissional do Inefop, Fernanda Luzia, disse que a procura pelo curso de Electricidade de Baixa Tensão tem aumentado, porque segundo os formandos há mais facilidade de empreender no ramo.

Fez saber que as unidades formativas foram apetrechadas com material de biossegurança como termómetros, álcool em gel, viseiras e máscaras faciais, como de uso obrigatório para prevenção à pandemia da Covid-19.

Disse que a instituição está a desenvolver outros projectos profissionais, enquadrados no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND-2018-2022), que abrangem o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE), em benefício de jovens inscritos em cursos de empreendedorismo.

Lembrou que decorre desde Outubro de 2019 um projecto formativo denominado “Saber fazer em desenvolvimento”, realizado em parceria com o Fundo da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que beneficia cem jovens desde Outubro de 2019.

Desde a sua institucionalização em 2002, o Inefop já formou mais de 17 mil cidadãos em distintas especialidades.