Dezasseis jornalistas angolanos concorrem ao prémio SADC 2021

  • Jornalistas angolanos no cumprimento das suas actividades
Luanda - Dezasseis jornalistas angolanos concorrem ao Prémio SADC de Jornalimo 2021, anunciou, nesta quarta-feira, o Comité Nacional de Adjudicação (CNA-ANGOLA).

Os profissionais angolanos inscreveram-se nas quatro categorias: Fotojornalismo, Imprensa, Rádio e Televisão.

Conforme uma nota da organização chagada à ANGOP, trata-se de dois  jornalistas de Benguela, dois do Bié, dois do Cuanza Norte, um do Huambo, um da Huíla, seis de Luanda, e um da Lunda Norte.

A lista incluiu ainda uma jornalista angolana radicada nos Estados Unidos da América, com duas peças numa mesma categoria.

Segundo o regulamento, os trabalhos a concurso deverão ser, inicialmente, seleccionados e avaliados pelo Comité Nacional de Adjudicação em cada Estado-membro, que seleccionará o melhor de cada uma das quatro categorias, para serem remetidos ao Comité Regional de Adjudicação (RAC), por intermédio do Secretariado da SADC.

A selecção dos melhores trabalhos a concurso, ao nível regional, será feita pelo RAC, cuja decisão é definitiva.

O CNA-ANGOLA está a avaliar cada uma das peças, à luz do regulamento do prémio instituído em 1996, com o objectivo de apoiar o processo de cooperação e de integração regional.

Os vencedores – dois de cada uma das categorias – serão anunciados durante a 41ª Cimeira Ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da SADC, a decorrer no Malawi.

Os profissionais angolanos inscreveram-se nas quatro categorias: Fotojornalismo, Imprensa, Rádio e Televisão.

Conforme uma nota da organização chagada à ANGOP, trata-se de dois  jornalistas de Benguela, dois do Bié, dois do Cuanza Norte, um do Huambo, um da Huíla, seis de Luanda, e um da Lunda Norte.

A lista incluiu ainda uma jornalista angolana radicada nos Estados Unidos da América, com duas peças numa mesma categoria.

Segundo o regulamento, os trabalhos a concurso deverão ser, inicialmente, seleccionados e avaliados pelo Comité Nacional de Adjudicação em cada Estado-membro, que seleccionará o melhor de cada uma das quatro categorias, para serem remetidos ao Comité Regional de Adjudicação (RAC), por intermédio do Secretariado da SADC.

A selecção dos melhores trabalhos a concurso, ao nível regional, será feita pelo RAC, cuja decisão é definitiva.

O CNA-ANGOLA está a avaliar cada uma das peças, à luz do regulamento do prémio instituído em 1996, com o objectivo de apoiar o processo de cooperação e de integração regional.

Os vencedores – dois de cada uma das categorias – serão anunciados durante a 41ª Cimeira Ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da SADC, a decorrer no Malawi.