Direcção da TCUL reajusta salários e contorna greve

  • Autocarros da TCUL
Luanda - A administração da TCUL e o núcleo sindical da empresa acordaram um reajuste do salário base dos seus trabalhadores, no quadro do novo qualificador ocupacional da empresa pública de transportes.

O acordo prevê como percentagem máxima do reajuste 65 por cento e mínima 10 por cento, de acordo com o coordenador-adjunto do núcleo sindical, Domingos Contreiras.

Conforme o sindicalista, que falava à RNA, o acordo foi assumido sexta-feira, em reunião mantida entre o núcleo sindical e o Conselho de Administração da TCUL.

Explicou que o novo qualificador aprovado traz uma nova realidade salarial na empresa, ajustado à realidade do país.

No quadro deste reajuste, os motoristas que ganhavam 73 mil passarão a auferir 117 mil Kwanzas, enquanto os que recebem 80 mil terão direito a 128 mil Kwanzas.

"É um reajuste bastante bom, que ainda não vai em conta com as nossas necessidades, mas tendo em conta as reais dificuldades do país e da empresa, conseguimos um reajuste positivo", disse o sindicalista.

O reajuste surge numa altura em que a administração e o núcleo sindical negoceiam um caderno reivindicativo remetido em Maio de 2020, com 18 pontos.

Por falta de consenso, os trabalhadores haviam avançado para uma greve geral, esta semana, suspensa dois dias depois, devido à evolução das negociações.

A TCUL é a principal empresa de transportes urbanos do país, com uma frota de aproximadamente 140 autocarros.

O acordo prevê como percentagem máxima do reajuste 65 por cento e mínima 10 por cento, de acordo com o coordenador-adjunto do núcleo sindical, Domingos Contreiras.

Conforme o sindicalista, que falava à RNA, o acordo foi assumido sexta-feira, em reunião mantida entre o núcleo sindical e o Conselho de Administração da TCUL.

Explicou que o novo qualificador aprovado traz uma nova realidade salarial na empresa, ajustado à realidade do país.

No quadro deste reajuste, os motoristas que ganhavam 73 mil passarão a auferir 117 mil Kwanzas, enquanto os que recebem 80 mil terão direito a 128 mil Kwanzas.

"É um reajuste bastante bom, que ainda não vai em conta com as nossas necessidades, mas tendo em conta as reais dificuldades do país e da empresa, conseguimos um reajuste positivo", disse o sindicalista.

O reajuste surge numa altura em que a administração e o núcleo sindical negoceiam um caderno reivindicativo remetido em Maio de 2020, com 18 pontos.

Por falta de consenso, os trabalhadores haviam avançado para uma greve geral, esta semana, suspensa dois dias depois, devido à evolução das negociações.

A TCUL é a principal empresa de transportes urbanos do país, com uma frota de aproximadamente 140 autocarros.