ERCA aponta desafios da imprensa angolana

  • Adelino de Almeida,  Presidente da ERCA (Arquivo)
Luanda  - O presidente do conselho directivo da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA), Adelino Marques de Almeida, afirmou, nesta segunda-feira, em Luanda, que Angola enfrenta “enormes” desafios para o pleno exercício da liberdade de imprensa.

O responsável, que falava à imprensa à margem de uma palestra sob o tema "A informação como um bem comum", frisou que a realidade angolana, no que a liberdade de imprensa diz respeito, ainda é complexa.

"Há um número reduzido de meios de Comunicação Social  e é necessário estender a sua acção ao universo do país", disse.

Conforme  Adelino de Almeida, a institucionalização da ERCA como entidade administrativa independente pode concorrer para que se observe o exercício no jornalismo  com base nos critérios de isenção, objectividade e responsabilidade.

Adelino de Almeida destacou que os jornalistas têm uma grande responsabilidade no exercício da cidadania, razão pela qual devem  respeitar, rigorosamente, os ditames do código de ética e deontologia.

Por sua vez, o coordenador do curso de jornalismo do Instituto Superior Politécnico Metropolitano de Angola (Imetro), Borges Salvador, destacou a necessidade de se adequar a legislação ao actual contexto angolano.

"Estamos numa fase de estudos e de análise dos arranjos que estão a ser feitos a Lei de Imprensa”, reforçou o responsável.

A palestra, que teve como orador o director do IMETRO, Luís Kandjimbo, na presença do secretário de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino “Nuno Carnaval”, enquadrou-se nas comemorações do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

O responsável, que falava à imprensa à margem de uma palestra sob o tema "A informação como um bem comum", frisou que a realidade angolana, no que a liberdade de imprensa diz respeito, ainda é complexa.

"Há um número reduzido de meios de Comunicação Social  e é necessário estender a sua acção ao universo do país", disse.

Conforme  Adelino de Almeida, a institucionalização da ERCA como entidade administrativa independente pode concorrer para que se observe o exercício no jornalismo  com base nos critérios de isenção, objectividade e responsabilidade.

Adelino de Almeida destacou que os jornalistas têm uma grande responsabilidade no exercício da cidadania, razão pela qual devem  respeitar, rigorosamente, os ditames do código de ética e deontologia.

Por sua vez, o coordenador do curso de jornalismo do Instituto Superior Politécnico Metropolitano de Angola (Imetro), Borges Salvador, destacou a necessidade de se adequar a legislação ao actual contexto angolano.

"Estamos numa fase de estudos e de análise dos arranjos que estão a ser feitos a Lei de Imprensa”, reforçou o responsável.

A palestra, que teve como orador o director do IMETRO, Luís Kandjimbo, na presença do secretário de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino “Nuno Carnaval”, enquadrou-se nas comemorações do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.