Estiagem provoca redução na produção agrícola nos serviços penitenciários

Menongue – Os serviços penitenciários da província do Cuando Cubango registaram uma significativa redução dos níveis de produção, devido, principalmente, à estiagem que se fez sentir na campanha agrícola 2020/2021, baixando a colheita de 15 toneladas para apenas 5,5.

O dado foi avançado neste sábado pelo superintendente prisional chefe, José Matumona, director adjunto dos serviços prisionais no Cuando Cubango, durante o acto de recolha oficial dos produtos do campo, nomeadamente duas toneladas de milho, quatro de cebola e uma e meia que inclui produtos como batata, couve, tomate e jinguba, esta última em fase experimental.

Fez saber que a instituição tem controlado mil e 250 hectares cultiváveis nos centros de reeducação social de Menongue, Cuito Cuanavale e Missombo.

Os produtos têm como finalidade beneficiar a população penal, com o melhoramento da sua dieta alimentar e a sobrevivência da própria produção agrícola, sendo que o remanescente tem sido comercializado para a compra de fertilizantes, insecticidas e outros meios.

Estão envolvidos na produção um total de 27 reclusos, todos na condição de condenados.

São controlados 729 reclusos, dos quais 419 condenados e 310 detidos.

O dado foi avançado neste sábado pelo superintendente prisional chefe, José Matumona, director adjunto dos serviços prisionais no Cuando Cubango, durante o acto de recolha oficial dos produtos do campo, nomeadamente duas toneladas de milho, quatro de cebola e uma e meia que inclui produtos como batata, couve, tomate e jinguba, esta última em fase experimental.

Fez saber que a instituição tem controlado mil e 250 hectares cultiváveis nos centros de reeducação social de Menongue, Cuito Cuanavale e Missombo.

Os produtos têm como finalidade beneficiar a população penal, com o melhoramento da sua dieta alimentar e a sobrevivência da própria produção agrícola, sendo que o remanescente tem sido comercializado para a compra de fertilizantes, insecticidas e outros meios.

Estão envolvidos na produção um total de 27 reclusos, todos na condição de condenados.

São controlados 729 reclusos, dos quais 419 condenados e 310 detidos.