Executivo aposta na prevenção da violência contra crianças- Ministra de Estado

  • Carolina Cerqueira,  Ministra de Estado Para Area Socia
Luanda – A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, afirmou, esta quarta-feira, que o Executivo está a projectar novas formas de prevenção da violência no género.

Carolina Cerqueira, que falava  na cerimónia de encerramento da conferência nacional sobre violência baseada no género,  promovida pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção a Mulher  (MASFAMU), adiantou que as políticas,  programas e projectos sobre a prevenção e combate a violência no género  são eficazes, eficientes,  transversais,  multidisciplinar e com bases sólidas. 

Conforme a ministra, importante que se encontre novas formas de prevenir e combater a violência baseada no género,  sobretudo contra  crianças, que registou um aumento substancial com o confinamento social  devido à Covid-19.

Revelou que o aumento da violência contra à criança  não é apenas um problema de Angola, mas sim da Região Austral,  constituindo  uma violação dos direitos dos petizes.

Dados disponíveis indicam o registo, desde o mês de Março, de 567 casos de violência doméstica, dos quais 486 queixas por mulheres, através dos gabinetes provinciais, e 124 por homens.

 Em 2019 foram registados, em Angola, 3.703 casos de violência doméstica apenas durante o primeiro semestre, segundo dados do Governo.

 

Carolina Cerqueira, que falava  na cerimónia de encerramento da conferência nacional sobre violência baseada no género,  promovida pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção a Mulher  (MASFAMU), adiantou que as políticas,  programas e projectos sobre a prevenção e combate a violência no género  são eficazes, eficientes,  transversais,  multidisciplinar e com bases sólidas. 

Conforme a ministra, importante que se encontre novas formas de prevenir e combater a violência baseada no género,  sobretudo contra  crianças, que registou um aumento substancial com o confinamento social  devido à Covid-19.

Revelou que o aumento da violência contra à criança  não é apenas um problema de Angola, mas sim da Região Austral,  constituindo  uma violação dos direitos dos petizes.

Dados disponíveis indicam o registo, desde o mês de Março, de 567 casos de violência doméstica, dos quais 486 queixas por mulheres, através dos gabinetes provinciais, e 124 por homens.

 Em 2019 foram registados, em Angola, 3.703 casos de violência doméstica apenas durante o primeiro semestre, segundo dados do Governo.