Famílias de Quilengues recebem primeira transferência do Kwenda

  • Entrega dos cartões no processo das transferências sociais monetarias em Quilengues
Quilengues - Dezanove mil e 505 famílias do município de Quilengues, província da Huíla, começaram, terça-feira, receber dinheiro no quadro do Programa de Fortalecimento do Sistema Nacional de Protecção Social "KWENDA".

Os beneficiários receberam os seus primeiros 25.500 Kwanzas referente ao primeiro trimestre.

O município registou 23.753 agregados, dos quais os 19.505 vão receber as transferências monetárias até o final do mês de Agosto do ano em curso, em 35 postos fixos de pagamento criados nas três comunas (sede, Dinde e Impulo), através da modalidade de multicaixa pelo Banco de Fomento de Angola (BFA).

Ao falar após a cerimónia simbólica da entrega dos cartões multicaixa e posterior levantamento dos valores, o director-geral do FAS, Belarmino Jelembi, afirmou que as condições estão criadas para que o processo continue.

Informou que em diversas localidades, na fase de cadastramento, encontraram receio e dúvidas por parte das famílias e a medida que foi se concretizando gerou confiança dos visados.

"Estamos a ir em aldeias recônditas e os acessos são difíceis, o que torna a operação mais cara, mas estamos a trabalhar para dar a nossa contribuição ao alívio da situação de vulnerabilidade que muitas famílias vivem", continuou.

Reafirmou que o KWENDA é um programa de protecção social, que tem uma dimensão de transferências de renda, não simplesmente de entrega de dinheiro.

Segundo a fonte, já estão cadastrados 410 mil agregados familiares a nível do país, das quais 60 mil serão abrangidas até Agosto próximo com a entrega do dinheiro.

Lembrou que as famílias estão a usar os recursos de três formas, desde investimento na produção, na área da educação e saúde, bem como na compra de alimentos, de acordo aos dados da avaliação-piloto.

Por sua vez o administrador de Quilengues, Adriano Alberto Pedro, disse tratar-se de um momento ímpar para os beneficiários, visto que com o valor muitos vão criar pequenos negócios e outros vão ser inseridos no processo produtivo para garantirem o sustento das famílias, mudando assim o seu nível de vida.

Beneficiários canalizam dinheiro na agricultura

Francisco Chiangalala, de 40 anos de idade, disse que vai comprar cabritos para criar e aquisição de alimentação para a família.

Já, Rosalina Canene, de 55 anos de idade, para além da alimentação, dissse vai apostar em pequenos negócios, com  aquisição de hortícolas para comercializar, e posteriormente, ter uma  fonte de renda.

Adriano Século, de 36 anos, agricultor, diz não conseguir exercer a actividade por falta de material, situação que será ultrapassada com a atribuição deste valor.

Outro beneficiário, Adelino Faria, de 55 anos, tem 10 filhos  e almeja comprar cabritos para fazer negócio, assim como  sementes para alavancar a actividade agrícola.

Quilengues é o segundo município da província da Huíla a beneficiar de transferências sociais monetárias, depois de Cacula que entrou na fase piloto. Para além do pagamento às famílias, o KWENDA comporta ainda as componentes da inclusão produtiva, municipalização da acção social e o reforço do cadastro social único.

Para a materialização da componente da municipalização da acção social, foi inaugurado o Centro da Acção Social Integrado (CASI) município que serve para aproximar os cidadãos dos serviços essenciais, como aquisição do registo de nascimento civil, bem como intermediar conflitos de vária ordem dos cidadãos.

Na Huíla para além da Cacula e Quilengues, os municípios da Humpata e Gambos também foram seleccionados para beneficiarem do KWENDA, que estão em processo de cadastramento e formação dos agentes comunitários.

 

Os beneficiários receberam os seus primeiros 25.500 Kwanzas referente ao primeiro trimestre.

O município registou 23.753 agregados, dos quais os 19.505 vão receber as transferências monetárias até o final do mês de Agosto do ano em curso, em 35 postos fixos de pagamento criados nas três comunas (sede, Dinde e Impulo), através da modalidade de multicaixa pelo Banco de Fomento de Angola (BFA).

Ao falar após a cerimónia simbólica da entrega dos cartões multicaixa e posterior levantamento dos valores, o director-geral do FAS, Belarmino Jelembi, afirmou que as condições estão criadas para que o processo continue.

Informou que em diversas localidades, na fase de cadastramento, encontraram receio e dúvidas por parte das famílias e a medida que foi se concretizando gerou confiança dos visados.

"Estamos a ir em aldeias recônditas e os acessos são difíceis, o que torna a operação mais cara, mas estamos a trabalhar para dar a nossa contribuição ao alívio da situação de vulnerabilidade que muitas famílias vivem", continuou.

Reafirmou que o KWENDA é um programa de protecção social, que tem uma dimensão de transferências de renda, não simplesmente de entrega de dinheiro.

Segundo a fonte, já estão cadastrados 410 mil agregados familiares a nível do país, das quais 60 mil serão abrangidas até Agosto próximo com a entrega do dinheiro.

Lembrou que as famílias estão a usar os recursos de três formas, desde investimento na produção, na área da educação e saúde, bem como na compra de alimentos, de acordo aos dados da avaliação-piloto.

Por sua vez o administrador de Quilengues, Adriano Alberto Pedro, disse tratar-se de um momento ímpar para os beneficiários, visto que com o valor muitos vão criar pequenos negócios e outros vão ser inseridos no processo produtivo para garantirem o sustento das famílias, mudando assim o seu nível de vida.

Beneficiários canalizam dinheiro na agricultura

Francisco Chiangalala, de 40 anos de idade, disse que vai comprar cabritos para criar e aquisição de alimentação para a família.

Já, Rosalina Canene, de 55 anos de idade, para além da alimentação, dissse vai apostar em pequenos negócios, com  aquisição de hortícolas para comercializar, e posteriormente, ter uma  fonte de renda.

Adriano Século, de 36 anos, agricultor, diz não conseguir exercer a actividade por falta de material, situação que será ultrapassada com a atribuição deste valor.

Outro beneficiário, Adelino Faria, de 55 anos, tem 10 filhos  e almeja comprar cabritos para fazer negócio, assim como  sementes para alavancar a actividade agrícola.

Quilengues é o segundo município da província da Huíla a beneficiar de transferências sociais monetárias, depois de Cacula que entrou na fase piloto. Para além do pagamento às famílias, o KWENDA comporta ainda as componentes da inclusão produtiva, municipalização da acção social e o reforço do cadastro social único.

Para a materialização da componente da municipalização da acção social, foi inaugurado o Centro da Acção Social Integrado (CASI) município que serve para aproximar os cidadãos dos serviços essenciais, como aquisição do registo de nascimento civil, bem como intermediar conflitos de vária ordem dos cidadãos.

Na Huíla para além da Cacula e Quilengues, os municípios da Humpata e Gambos também foram seleccionados para beneficiarem do KWENDA, que estão em processo de cadastramento e formação dos agentes comunitários.