Governador inteira-se do funcionamento dos órgãos de comunicação social

  • Bié: Governador provincial, Pereira Alfredo
Lubango – O governador da Huíla, Nuno Mahapi, efectuou, na manhã desta quinta-feira, visitas- supresa aos órgãos de comunicação social públicos e privados da província.

Trata-se da primeira acção do género ao segmento da comunicação social, desde que foi indicado ao cargo, em Março deste ano.

Devido à supresa, em alguns órgãos, quer privados como públicos, o governador não encontrou os respectivos responsáveis, mas manteve conversa informal com os trabalhadores presentes.

O primeiro órgão visitado foi a ANGOP, onde, em breve diálogo com o seu delegado, Morais Silva, o dirigente justificou a surpresa com a necessidade de verificar in situ a funcionalidade dessas empresas.

Acompanhado do secretário-geral do governo provincial, Anselmo Vasco, o governador manifestou-se solidário com os jornalistas e disse que está consciente dos problemas que o classe vive, manifestando a esperança de “que uma solução será encontrada”.

Para além da ANGOP, Nuno Mahapi esteve  na TPA, Rádio Huíla, Rádio Mais, Rádio 2000, Rádio ISPI e Maranata.

Na mesma senda, Nuno Mahapi deslocou-se ao Hotel Lubango e conversou brevemente com os jornalistas das delegações da ANGOP na Huíla, Namibe e Cunene, que recebem formação sobre língua portuguesa e técnicas de redacção, desde segunda-feira última.

A falta de transporte, de meios técnicos e de pessoal são algumas das dificuldades com que os responsáveis dos órgãos de comunicação social se debatem.

 

Trata-se da primeira acção do género ao segmento da comunicação social, desde que foi indicado ao cargo, em Março deste ano.

Devido à supresa, em alguns órgãos, quer privados como públicos, o governador não encontrou os respectivos responsáveis, mas manteve conversa informal com os trabalhadores presentes.

O primeiro órgão visitado foi a ANGOP, onde, em breve diálogo com o seu delegado, Morais Silva, o dirigente justificou a surpresa com a necessidade de verificar in situ a funcionalidade dessas empresas.

Acompanhado do secretário-geral do governo provincial, Anselmo Vasco, o governador manifestou-se solidário com os jornalistas e disse que está consciente dos problemas que o classe vive, manifestando a esperança de “que uma solução será encontrada”.

Para além da ANGOP, Nuno Mahapi esteve  na TPA, Rádio Huíla, Rádio Mais, Rádio 2000, Rádio ISPI e Maranata.

Na mesma senda, Nuno Mahapi deslocou-se ao Hotel Lubango e conversou brevemente com os jornalistas das delegações da ANGOP na Huíla, Namibe e Cunene, que recebem formação sobre língua portuguesa e técnicas de redacção, desde segunda-feira última.

A falta de transporte, de meios técnicos e de pessoal são algumas das dificuldades com que os responsáveis dos órgãos de comunicação social se debatem.