Governador quer intervenção nas vias secundárias

  • Ernesto Muangala, governador da Lunda Norte
Dundo – O governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, orientou, nesta sexta-feira, ao novo director do Gabinete de Infraestruturas e Serviços Técnico, António Matias, a trabalhar com as administrações municipais na identificação das principais vias secundárias degradadas para a sua melhoria, utilizando os equipamentos de manutenção e reabilitação de estradas.

Em 2020, o governo da Lunda Norte beneficiou de dois kits de manutenção e reabilitação de estradas compostos por buldoze, tractores, moto-niveladora, pá carregadora, máquina giratória, cilindro liso, pé de carneiro, retroescavadora, camião basculante, camião porta-máquinas, camião auto-tanque com espalhador de emulsão asfáltica, carrinhas de apoio e camião de carga com grua.

Os kits possuem, igualmente, roçadeiras, aguilha vibradora, placa vibratória, espalhador de gravilha, betoneira, moto serra, cortador de pavimento, hidro-limpadora de gasolina, compressor de reboque, martelo pneumático, cilindro vibrador manual e gerador elétrico para além de ferramentas de protecção individual.

O governo local criou duas brigadas, uma no município do Cuango, para atender a parte sul da província, e outra no Chitato, para a zona norte da Lunda Norte.

Ernesto Muangala orientou o Gabinete de Infra-estruturas a trabalhar, igualmente, com os projectos mineiros, visando a sua comparticipação neste processo, reiterando que a melhoria das vias secundárias vai facilitar o escoamento dos produtos agrícolas do campo para os centros de consumo.

Ponto de situação das vias estruturantes

Desde 2008, foram construídos e asfaltados mil 161 quilómetros de estradas, permitindo a ligação dos municípios do Chitato, Lóvua, Cuilo, Caungula, Cuango e Xá-Muteba, numa extensão de 540 quilómetros, na Estrada Nacional (EN) 225, os troços  que ligam a cidade do Dundo à fronteira do Chissanda (43 Km), Chitato/Lucapa (136 (Km) e Lucapa/Luó (133 Km), na EN-180.

Foram igualmente reabilitados os troços Dundo/Nzagi, com extensão de 90 quilómetros, na EN-180, bem como as ruas dos centros das cidades do Nzagi (19 Km), Lucapa (22 Km), Dundo (33 Km) e da Centralidade do Mussungue (30 Km).

Faltam reabilitar algumas vias fundamentais, tais como os troços que ligam os municípios de Xá-Muteba, Capenda-Camulemba e a Comuna do Xinge, numa extensão de 272 quilómetros, na EN-230, o percurso entre Caungula e as comunas do Camaxilo, Lubalo e Xinge (200 Km), Cuango/Cafunfu (100 Km) e  Nzagi/Lucapa (135 Km), EN-225.

Estão em curso obras de reabilitação nos troços Cassassa/ Muatxumbundo, os 26 quilómetros por asfaltar na EN-225, num total de 566, uma via importante porque liga a Lunda Norte ao resto do país.

Na EN-180 decorrem obras de reabilitação nos troços Lucapa/Txilumbica (20 quilómetros) e Caungula/Lubalo (87 Km) e a requalificação da via Capenda-Camulemba/Xá-muteba (272 Km).

Em 2020, o governo da Lunda Norte beneficiou de dois kits de manutenção e reabilitação de estradas compostos por buldoze, tractores, moto-niveladora, pá carregadora, máquina giratória, cilindro liso, pé de carneiro, retroescavadora, camião basculante, camião porta-máquinas, camião auto-tanque com espalhador de emulsão asfáltica, carrinhas de apoio e camião de carga com grua.

Os kits possuem, igualmente, roçadeiras, aguilha vibradora, placa vibratória, espalhador de gravilha, betoneira, moto serra, cortador de pavimento, hidro-limpadora de gasolina, compressor de reboque, martelo pneumático, cilindro vibrador manual e gerador elétrico para além de ferramentas de protecção individual.

O governo local criou duas brigadas, uma no município do Cuango, para atender a parte sul da província, e outra no Chitato, para a zona norte da Lunda Norte.

Ernesto Muangala orientou o Gabinete de Infra-estruturas a trabalhar, igualmente, com os projectos mineiros, visando a sua comparticipação neste processo, reiterando que a melhoria das vias secundárias vai facilitar o escoamento dos produtos agrícolas do campo para os centros de consumo.

Ponto de situação das vias estruturantes

Desde 2008, foram construídos e asfaltados mil 161 quilómetros de estradas, permitindo a ligação dos municípios do Chitato, Lóvua, Cuilo, Caungula, Cuango e Xá-Muteba, numa extensão de 540 quilómetros, na Estrada Nacional (EN) 225, os troços  que ligam a cidade do Dundo à fronteira do Chissanda (43 Km), Chitato/Lucapa (136 (Km) e Lucapa/Luó (133 Km), na EN-180.

Foram igualmente reabilitados os troços Dundo/Nzagi, com extensão de 90 quilómetros, na EN-180, bem como as ruas dos centros das cidades do Nzagi (19 Km), Lucapa (22 Km), Dundo (33 Km) e da Centralidade do Mussungue (30 Km).

Faltam reabilitar algumas vias fundamentais, tais como os troços que ligam os municípios de Xá-Muteba, Capenda-Camulemba e a Comuna do Xinge, numa extensão de 272 quilómetros, na EN-230, o percurso entre Caungula e as comunas do Camaxilo, Lubalo e Xinge (200 Km), Cuango/Cafunfu (100 Km) e  Nzagi/Lucapa (135 Km), EN-225.

Estão em curso obras de reabilitação nos troços Cassassa/ Muatxumbundo, os 26 quilómetros por asfaltar na EN-225, num total de 566, uma via importante porque liga a Lunda Norte ao resto do país.

Na EN-180 decorrem obras de reabilitação nos troços Lucapa/Txilumbica (20 quilómetros) e Caungula/Lubalo (87 Km) e a requalificação da via Capenda-Camulemba/Xá-muteba (272 Km).