Governadora endereça condolências às vítimas da chuva

Luanda - A governadora de Luanda, joana Lina, endereçou hoje, terça-fejra, às familias enlutadas os mais profundos sentimentos de pesar pela perda de vidas humanas em consequência da chuva que se abateu sobre Luanda, durante várias horas na segunda-feira.

Em uma nota de imprensa a que à ANGOP teve acesso, a governadora lamenta o facto das  familias terem sido privadas do convivio dos seus ente queridos.

“Neste momento de dor e consternação importa reflectir sobre as medidas preventivas que visam, sobretudo, a perservação do bem maior que é a vida. A construção em zonas de risco e outras actitudes negligentes podem colocar em perigo a vida dos municipes”, refere a governadora de Luanda. 

Nesta altura  em que  Luanda atravessa uma fase em que conta com a colaboração de cada municipe, enfatiza a nota,  a perda de uma vida é desoladora.

 Às mães que perderam  os seus filhos, aos filhos que se tornaram órfãos, a governadora manifesta em seu próprio  nome e em nome do GPL, as mais sentidas condolências.

Catorze mortos, dois feridos, mil e 600 residências inundadas e oito mil pessoas desalojadas são os dados provisórios dos danos causados pela chuva que assolou, segunda-feira, a província de Luanda, durante sete horas.

A chuva, que começou às  5h00 da  manhã, danificou pontes, derrubou árvores,  provocou o transbordo de várias bacias de retenção, e  causou, igualmente, avaria de  viaturas, muitas das quais ficaram submersas.

Em uma nota de imprensa a que à ANGOP teve acesso, a governadora lamenta o facto das  familias terem sido privadas do convivio dos seus ente queridos.

“Neste momento de dor e consternação importa reflectir sobre as medidas preventivas que visam, sobretudo, a perservação do bem maior que é a vida. A construção em zonas de risco e outras actitudes negligentes podem colocar em perigo a vida dos municipes”, refere a governadora de Luanda. 

Nesta altura  em que  Luanda atravessa uma fase em que conta com a colaboração de cada municipe, enfatiza a nota,  a perda de uma vida é desoladora.

 Às mães que perderam  os seus filhos, aos filhos que se tornaram órfãos, a governadora manifesta em seu próprio  nome e em nome do GPL, as mais sentidas condolências.

Catorze mortos, dois feridos, mil e 600 residências inundadas e oito mil pessoas desalojadas são os dados provisórios dos danos causados pela chuva que assolou, segunda-feira, a província de Luanda, durante sete horas.

A chuva, que começou às  5h00 da  manhã, danificou pontes, derrubou árvores,  provocou o transbordo de várias bacias de retenção, e  causou, igualmente, avaria de  viaturas, muitas das quais ficaram submersas.