Governante apela à efectivação de serviço móvel virtual

  • Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem (arquivo)
Luanda - O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, apelou esta sexta-feira ao Conselho de Administração do Instituto Angolano das Comunicações (Inacom) para a necessidade de permitir que o serviço de operação móvel virtual possa ser um facto em Angola.

O governante intervinha na cerimónia de tomada de posse dos novos responsáveis desta empresa e alguns integrantes do Conselho de Administração das Edições Novembro – EP.

Referiu que o serviço de operadora móvel virtual trará maior dinâmica ao sector das comunicações electrónicas e aconselhou os responsáveis ora investidos para mais dedicação face aos novos desafios, que, na sua óptica, serão maiores.

Uma operadora móvel virtual é uma empresa responsável por prestar a entrega de serviços de telefonia móvel sem possuir rede própria, ou seja, que usa a rede de uma outra grande operadora tradicional.

Manuel Homem ressaltou que o Inacom terá um acompanhamento especial por parte do ministério, para voltar a ocupar o seu lugar nas telecomunicações, enquanto operadora incumbente que suporta os operadores nacionais de telecomunicações.

“O nosso desejo é fundamental que consiste em levar as comunicações a todo o país com qualidade e a bons preços para o consumidor final de comunicações electrónicas”, sublinhou.

Durante o acto, ocorrido no auditório do “Palácio das Comunicações”, em Luanda, foram empossados o PCA do Inacom, Pascoal Fernandes, os administradores executivos Luísa Augusto, Francisco Quininga, Elísio Manuel e Zolana João, e o não executivo Meick Afonso.

Em relação aos responsáveis das Edições Novembro, o ministro reforçou a necessidade de primarem por uma informação rigorosa, objectiva, isenta, verdadeira e que sirva os interesses dos angolanos.

Por esta empresa tomaram posse Gilson dos Santos Carmelino e Eunice Moreno como administradores executivos, enquanto Drumond Jaime e Cândido Bessa Receado são administradores não executivos.

 

O governante intervinha na cerimónia de tomada de posse dos novos responsáveis desta empresa e alguns integrantes do Conselho de Administração das Edições Novembro – EP.

Referiu que o serviço de operadora móvel virtual trará maior dinâmica ao sector das comunicações electrónicas e aconselhou os responsáveis ora investidos para mais dedicação face aos novos desafios, que, na sua óptica, serão maiores.

Uma operadora móvel virtual é uma empresa responsável por prestar a entrega de serviços de telefonia móvel sem possuir rede própria, ou seja, que usa a rede de uma outra grande operadora tradicional.

Manuel Homem ressaltou que o Inacom terá um acompanhamento especial por parte do ministério, para voltar a ocupar o seu lugar nas telecomunicações, enquanto operadora incumbente que suporta os operadores nacionais de telecomunicações.

“O nosso desejo é fundamental que consiste em levar as comunicações a todo o país com qualidade e a bons preços para o consumidor final de comunicações electrónicas”, sublinhou.

Durante o acto, ocorrido no auditório do “Palácio das Comunicações”, em Luanda, foram empossados o PCA do Inacom, Pascoal Fernandes, os administradores executivos Luísa Augusto, Francisco Quininga, Elísio Manuel e Zolana João, e o não executivo Meick Afonso.

Em relação aos responsáveis das Edições Novembro, o ministro reforçou a necessidade de primarem por uma informação rigorosa, objectiva, isenta, verdadeira e que sirva os interesses dos angolanos.

Por esta empresa tomaram posse Gilson dos Santos Carmelino e Eunice Moreno como administradores executivos, enquanto Drumond Jaime e Cândido Bessa Receado são administradores não executivos.