Vice-governadora do Uíge reitera combate à violência contra criança

  • Vice-governadora do Uíge para o sector Político, Social e Económico, Maria Cavungo
Uíge - A vice-governadora do Uíge para o sector Político, Social e Económico, Maria Cavungo, reafirmou, nesta terça-feira, a aposta na realização de acções (palestras, encontros nas comunidades) de combate à violência contra criança.

Dados do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género, indicam que durante o primeiro trimestre do ano corrente foram registados 75 crimes de violência contra criança (trabalho infantil,  fuga à paternidade, ofensas corporais simples e graves, abuso sexual, entre outros).

Do total de crimes cometidos contra a criança, 40 foram resolvidos e 35 estão ainda pendentes.

Maria Cavungo falava na abertura da palestra sobre o  “Impacto da Violência Contra  Crianças e Adolescentes nas Famílias”, promovida pelo Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género.

Conforme a responsável, a intenção é encontrar melhores medidas de sensibilização da população para que criem um espírito de denúncia às práticas de violência contra as crianças nessa região do país.

Para o combate desse mal, Maria Cavungo disse contar com o apoio de actores sociais, professores, pastores e famílias.

O chefe do Departamento do Serviço de Investigação Criminal (SIC) no Uige, André George, pediu à população para respeitar os princípios dos direitos da criança consagrados pelas Nações Unidas, uma medida que visa promover o bem-estar social.

 

Dados do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género, indicam que durante o primeiro trimestre do ano corrente foram registados 75 crimes de violência contra criança (trabalho infantil,  fuga à paternidade, ofensas corporais simples e graves, abuso sexual, entre outros).

Do total de crimes cometidos contra a criança, 40 foram resolvidos e 35 estão ainda pendentes.

Maria Cavungo falava na abertura da palestra sobre o  “Impacto da Violência Contra  Crianças e Adolescentes nas Famílias”, promovida pelo Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género.

Conforme a responsável, a intenção é encontrar melhores medidas de sensibilização da população para que criem um espírito de denúncia às práticas de violência contra as crianças nessa região do país.

Para o combate desse mal, Maria Cavungo disse contar com o apoio de actores sociais, professores, pastores e famílias.

O chefe do Departamento do Serviço de Investigação Criminal (SIC) no Uige, André George, pediu à população para respeitar os princípios dos direitos da criança consagrados pelas Nações Unidas, uma medida que visa promover o bem-estar social.