Governo investe USD 600 milhões para reforçar geração de energia no Sul

  • Huila: Pormenor da Cidade do Lubango à noite
Lubango - O governo vai investir USD 600 milhões no reforço da capacidade e qualidade da electricidade na região Sul do país, em 2022, anunciou hoje, terça-feira, no Lubango (Huíla), o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

Falando à imprensa no final da sua visita à Huíla, que visou constatar os níveis de execução dos projectos em desenvolvimento nos dois sectores, disse estarem avançadas negociações com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Reino da Espanha.

Um dos projectos, a ser executado em três anos inclui a construção de uma linha de alta tensão, com 400 quilómetros de extensão (Huambo – Lubango), assim como a desminagem do percurso da ligação, financiada pelo BAD, em 300 milhões de dólares.

A ligação Huambo/Matala tem um custo de 100 milhões de dólares, enquanto a linha Lubango/ Namibe está avaliada entre 70 a 80 milhões de dólares.

O ministro assegurou que a ligação Huambo-Lubango tem o financiamento garantido e aprovado pelo BAD, através de um acordo assinado com o Ministério das Finanças, estando em consultoria para lançamento do concurso público. Participa também no finaciamento a AFROMAT.

Para o governante, tais soluções trazem mais disponibilidade de energia para a província da Huíla, associando ao projecto de energia solar perspectivado para ser instalado no município do Caraculo (Namibe), num investimento privado da Sonangol, bem como o da Arimba (Lubango), financiado pela Sonangol e pela TOTAL, com a instalação de parques solares.

A linha Lubango/Namibe tem financiamento aprovado pelo Fundo de Cooperação do Japão, enquanto a Huambo/Matala, que vai levar energia a região mineira da Jamba, é financiada pelo Reino de Espanha.

Falando à imprensa no final da sua visita à Huíla, que visou constatar os níveis de execução dos projectos em desenvolvimento nos dois sectores, disse estarem avançadas negociações com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Reino da Espanha.

Um dos projectos, a ser executado em três anos inclui a construção de uma linha de alta tensão, com 400 quilómetros de extensão (Huambo – Lubango), assim como a desminagem do percurso da ligação, financiada pelo BAD, em 300 milhões de dólares.

A ligação Huambo/Matala tem um custo de 100 milhões de dólares, enquanto a linha Lubango/ Namibe está avaliada entre 70 a 80 milhões de dólares.

O ministro assegurou que a ligação Huambo-Lubango tem o financiamento garantido e aprovado pelo BAD, através de um acordo assinado com o Ministério das Finanças, estando em consultoria para lançamento do concurso público. Participa também no finaciamento a AFROMAT.

Para o governante, tais soluções trazem mais disponibilidade de energia para a província da Huíla, associando ao projecto de energia solar perspectivado para ser instalado no município do Caraculo (Namibe), num investimento privado da Sonangol, bem como o da Arimba (Lubango), financiado pela Sonangol e pela TOTAL, com a instalação de parques solares.

A linha Lubango/Namibe tem financiamento aprovado pelo Fundo de Cooperação do Japão, enquanto a Huambo/Matala, que vai levar energia a região mineira da Jamba, é financiada pelo Reino de Espanha.