Governo proíbe entradas e saídas de cidadãos de Luanda

  • Estrada de Viana que liga km 30, Catete, Centro da Cidade, Luanda Sul,Cacuaco e Zango
Luanda – O Executivo anunciou, neste sábado, a proibição de entrada e saída de cidadãos na província de Luanda, a partir de segunda-feira, 10, no quadro das novas medidas de prevenção e combate à Covid-19.

De acordo com o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, até 8 de Junho só podem entrar e sair de Luanda, província com cerca sanitária, cidadãos devidamente autorizados (missão de serviço, comerciantes com bens e serviços), saúde, forças de segurança, doentes).

Por ser o foco da doença em Angola, avançou o ministro, é imposto a apresentação de guia de serviço da entidade patronal para se sair ou entrar em Luanda.

“Não basta a apresentação do comprovativo do teste negativo feito. Será necessário a guia de missão emitida pela entidade patronal para o cidadão sair ou entrar em Luanda”, reforçou o ministro.

 Dados disponíveis indicam o registo de 245 novos casos, em Luanda, do total geral de 276, nas últimas 24 horas.

A capital angolana registou, igualmente, no mesmo período, 15 pacientes recuperados e dois óbitos.

De acordo com o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, até 8 de Junho só podem entrar e sair de Luanda, província com cerca sanitária, cidadãos devidamente autorizados (missão de serviço, comerciantes com bens e serviços), saúde, forças de segurança, doentes).

Por ser o foco da doença em Angola, avançou o ministro, é imposto a apresentação de guia de serviço da entidade patronal para se sair ou entrar em Luanda.

“Não basta a apresentação do comprovativo do teste negativo feito. Será necessário a guia de missão emitida pela entidade patronal para o cidadão sair ou entrar em Luanda”, reforçou o ministro.

 Dados disponíveis indicam o registo de 245 novos casos, em Luanda, do total geral de 276, nas últimas 24 horas.

A capital angolana registou, igualmente, no mesmo período, 15 pacientes recuperados e dois óbitos.