Governo reintegra 55 ex-militares na Catumbela

  • Benguela: Beneficiários do projecto de transformacão de Agricultura Familiar
Catumbela, 15/01 – cinquenta e cinco ex-militares foram reintegrados em actividades sócio-produtivas, nesta sexta-feira, no município da Catumbela (província de Benguela), para incrementar a renda familiar, através de pequenos negócios.

Para tal, estes ex-militares e 17 outros descendentes de antigos combatentes beneficiaram de kits profissionais, adquiridos pela administração municipal da Catumbela, para implementação de projectos em agricultura, serralharia, moageiras, moto-táxi, pastelaria, decoração, corte e costura e engraxadores de sapatos.

Em representação dos beneficiários, Abel Malongongo recordou os “longos anos de promessas”, mas preferiu salientar a reintegração dos 55 ex-militares como fruto do empenho das autoridades da Catumbela e do IRSEM (Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-Militares).

Destacou o reconhecimento de que são alvo os ex-militares por parte do governo, no sentido da promoção da dignidade dos antigos combatentes e veteranos da pátria que lutaram pela independência do país.

O ex-militar disse acreditar que os meios vão servir para melhorar a condição de vidas dos beneficiários e suas famílias, que doravante estarão apostadas, por exemplo, na produção de bens alimentares, no transporte de pessoas e bens, transformação do milho em fuba e no fabrico de materiais de construção civil.

Intervindo no acto, o administrador municipal da Catumbela, Fernando Belo, declarou que a entrega dos kits sócio-profissionais marca o primeiro acto de reintegração de ex-militares, desde que a circunscrição ascendeu à categoria de município, em 2011.

o responsável acrescentou que a localidade tem o compromisso de reintegrar 1.020 ex-militares já cadastrados, de forma a dar-lhes dignidade e autossustento para o reforço da coesão social, através do seu engajamento em actividades produtivas.

Fernando Belo reiterou a aposta na implementação do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), com vista a redução da pobreza extrema e a inclusão social das famílias mais vulneráveis na Catumbela.

Após testemunhar o acto de entrega de kits profissionais, o governador provincial de Benguela, Rui Falcão, referiu, em declarações à imprensa, o compromisso do governo de continuar a trabalhar para combater a pobreza, particularmente no seio dos antigos combatentes.

Segundo o governante, este programa deve continuar e, de forma paulatina, “mais ex-militares terão efectivada a sua reintegração em actividades sócio-profissionais”.

Com 11 mil e 166 antigos combatentes e seus descendentes a beneficiarem de pensões, a província de Benguela ainda tem o desafio de reintegrar mais de 17 mil ex-militares e, destes, sete mil estão já inseridos em cooperativas.

Para tal, estes ex-militares e 17 outros descendentes de antigos combatentes beneficiaram de kits profissionais, adquiridos pela administração municipal da Catumbela, para implementação de projectos em agricultura, serralharia, moageiras, moto-táxi, pastelaria, decoração, corte e costura e engraxadores de sapatos.

Em representação dos beneficiários, Abel Malongongo recordou os “longos anos de promessas”, mas preferiu salientar a reintegração dos 55 ex-militares como fruto do empenho das autoridades da Catumbela e do IRSEM (Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-Militares).

Destacou o reconhecimento de que são alvo os ex-militares por parte do governo, no sentido da promoção da dignidade dos antigos combatentes e veteranos da pátria que lutaram pela independência do país.

O ex-militar disse acreditar que os meios vão servir para melhorar a condição de vidas dos beneficiários e suas famílias, que doravante estarão apostadas, por exemplo, na produção de bens alimentares, no transporte de pessoas e bens, transformação do milho em fuba e no fabrico de materiais de construção civil.

Intervindo no acto, o administrador municipal da Catumbela, Fernando Belo, declarou que a entrega dos kits sócio-profissionais marca o primeiro acto de reintegração de ex-militares, desde que a circunscrição ascendeu à categoria de município, em 2011.

o responsável acrescentou que a localidade tem o compromisso de reintegrar 1.020 ex-militares já cadastrados, de forma a dar-lhes dignidade e autossustento para o reforço da coesão social, através do seu engajamento em actividades produtivas.

Fernando Belo reiterou a aposta na implementação do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), com vista a redução da pobreza extrema e a inclusão social das famílias mais vulneráveis na Catumbela.

Após testemunhar o acto de entrega de kits profissionais, o governador provincial de Benguela, Rui Falcão, referiu, em declarações à imprensa, o compromisso do governo de continuar a trabalhar para combater a pobreza, particularmente no seio dos antigos combatentes.

Segundo o governante, este programa deve continuar e, de forma paulatina, “mais ex-militares terão efectivada a sua reintegração em actividades sócio-profissionais”.

Com 11 mil e 166 antigos combatentes e seus descendentes a beneficiarem de pensões, a província de Benguela ainda tem o desafio de reintegrar mais de 17 mil ex-militares e, destes, sete mil estão já inseridos em cooperativas.