Cidade da Caála ganha nova imagem

  • Vista parcial da Cidade da Caála
Caála – A cidade da Caála, sede do município com o mesmo nome, província do Huambo, ganhou uma nova imagem com a inauguração, esta terça-feira, de dois quilómetros de estradas asfaltadas e devidamente sinalizadas.

Trata-se da primeira obra concluída nesta municipalidade, localizada a 23 quilómetros a oeste da cidade do Huambo, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

A empreitada, orçada em 197 milhões, foi inaugurada pela governadora da província Lotti Nolika, e visa a dar uma nova imagem a cidade da Caála e tornar mais acessível a circulação.

À margem da abertura das vias, a governante testemunhou a assinaturas dos autos de consignação das obras de reabilitação e colocação, pela primeira vez, de tapete asfáltico nas comunas da Calenga, Catata e Cuima, ambas no município da Caála, num financiamento do PIIM.

Conforme constatou à ANGOP, as empreitadas adjudicadas à Elevo Engenharia prevêem asfaltar, este ano, três quilómetros de estradas no interior da comuna da Calenga, dois na do Cuima e 1.4 na da Catata.

A propósito, automobilistas afirmaram que a colocação de tapete asfáltico nestas vilas significa desenvolvimento local,  uma vez que irá facilitar a livre circulação, bem como representa uma mais-valia para as comunidades que vivem nestas localidades.

Explicam que a vida nestas localidades sem asfalto é precária, sendo que a população vive da prática da agricultura, mas que debate-se sempre com as dificuldades de escoamentos da produção devido a inexistência de estrada.

No município da Caála, com uma população estimada em mais de 342 mil e 463 habitantes distribuídos nas comunas da Catata, Cuima, Calenga e comuna sede, foram eleitos, para o PIIM,  sete obras, incluindo os programas de saneamento básico, para responder às preocupações essenciais da população no sentido de se melhorar as condições de vida, bem como o seu bem-estar.

O PIIM, uma iniciativa do Governo angolano no quadro do processo de desconcentração e descentralização administrativa, abrange os 164 municípios do país e prevê a construção de diversas infra-estruturas com o impacto directo na vida do cidadão.

Trata-se da primeira obra concluída nesta municipalidade, localizada a 23 quilómetros a oeste da cidade do Huambo, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

A empreitada, orçada em 197 milhões, foi inaugurada pela governadora da província Lotti Nolika, e visa a dar uma nova imagem a cidade da Caála e tornar mais acessível a circulação.

À margem da abertura das vias, a governante testemunhou a assinaturas dos autos de consignação das obras de reabilitação e colocação, pela primeira vez, de tapete asfáltico nas comunas da Calenga, Catata e Cuima, ambas no município da Caála, num financiamento do PIIM.

Conforme constatou à ANGOP, as empreitadas adjudicadas à Elevo Engenharia prevêem asfaltar, este ano, três quilómetros de estradas no interior da comuna da Calenga, dois na do Cuima e 1.4 na da Catata.

A propósito, automobilistas afirmaram que a colocação de tapete asfáltico nestas vilas significa desenvolvimento local,  uma vez que irá facilitar a livre circulação, bem como representa uma mais-valia para as comunidades que vivem nestas localidades.

Explicam que a vida nestas localidades sem asfalto é precária, sendo que a população vive da prática da agricultura, mas que debate-se sempre com as dificuldades de escoamentos da produção devido a inexistência de estrada.

No município da Caála, com uma população estimada em mais de 342 mil e 463 habitantes distribuídos nas comunas da Catata, Cuima, Calenga e comuna sede, foram eleitos, para o PIIM,  sete obras, incluindo os programas de saneamento básico, para responder às preocupações essenciais da população no sentido de se melhorar as condições de vida, bem como o seu bem-estar.

O PIIM, uma iniciativa do Governo angolano no quadro do processo de desconcentração e descentralização administrativa, abrange os 164 municípios do país e prevê a construção de diversas infra-estruturas com o impacto directo na vida do cidadão.