Inclusão dos ex-militares nas prioridades do combate à pobreza

  • Tractores agrícolas (arquivo)
Huambo – A inclusão social dos ex-militares em actividades produtivas constitui uma das prioridades do programa de combate à pobreza, na província do Huambo, para o exercício económico 2021.

O facto foi tornado público esta quinta-feira, durante o I encontro ordinário da unidade técnica de acompanhamento e supervisão deste plano, orientado pela governadora desta região, Lotti Nolika.

Para o efeito, as autoridades da província pretendem envolver, cada vez mais, esta franja da sociedade no sector produtivo, com realce para agricultura, com a distribuição, em Dezembro de 2020, de nove tractores e alfaias para cinco cooperativas constituídas por ex-militares.  

Entre as acções, constam ainda o empoderamento da mulher e dos jovens, assim como o reforço das medidas de biossegurança, para reduzir as infecções por Covid-19.

Na ocasião, o vice-governador local para o sector Político, Social e Económico, José Cornélio, lembrou que a implementação do programa de combate à pobreza visa melhorar o bem-estar das famílias, daí a necessidade de ser executado com transparência, para a construção de uma sociedade igual para todos.

Sem avancar o orçamento para este ano, o responsável disse que, além de prestar especial atenção aos ex-militares e ao empoderamento da mulher e dos jovens, pretende-se buscar modelos de desenvolvimento capazes de reduzir, no curto prazo, as assimetrias regionais e fomentar o auto-emprego nas comunidades mais vulneráveis.

Este programa visa, entre outros, reduzir os níveis de pobreza extrema e a elevação do padrão de vida dos cidadãos, de modo a assegurar, até 2022, o cadastro gradual dos beneficiários da acção social na base de dados de vulnerabilidade e contribuir para a reintegração efectiva dos militares.

Pretende, também, promover e alargar o acesso aos serviços básicos e às propriedades e factores de produção como a terra, capital, equipamento e conhecimento.

Assegurar o envolvimento do cidadão e das comunidades beneficiárias em todas as fases de identificação de projectos, consta, ainda, da lista dos objectivos prioritários definidos no plano de execução das acções de combate à pobreza.

O facto foi tornado público esta quinta-feira, durante o I encontro ordinário da unidade técnica de acompanhamento e supervisão deste plano, orientado pela governadora desta região, Lotti Nolika.

Para o efeito, as autoridades da província pretendem envolver, cada vez mais, esta franja da sociedade no sector produtivo, com realce para agricultura, com a distribuição, em Dezembro de 2020, de nove tractores e alfaias para cinco cooperativas constituídas por ex-militares.  

Entre as acções, constam ainda o empoderamento da mulher e dos jovens, assim como o reforço das medidas de biossegurança, para reduzir as infecções por Covid-19.

Na ocasião, o vice-governador local para o sector Político, Social e Económico, José Cornélio, lembrou que a implementação do programa de combate à pobreza visa melhorar o bem-estar das famílias, daí a necessidade de ser executado com transparência, para a construção de uma sociedade igual para todos.

Sem avancar o orçamento para este ano, o responsável disse que, além de prestar especial atenção aos ex-militares e ao empoderamento da mulher e dos jovens, pretende-se buscar modelos de desenvolvimento capazes de reduzir, no curto prazo, as assimetrias regionais e fomentar o auto-emprego nas comunidades mais vulneráveis.

Este programa visa, entre outros, reduzir os níveis de pobreza extrema e a elevação do padrão de vida dos cidadãos, de modo a assegurar, até 2022, o cadastro gradual dos beneficiários da acção social na base de dados de vulnerabilidade e contribuir para a reintegração efectiva dos militares.

Pretende, também, promover e alargar o acesso aos serviços básicos e às propriedades e factores de produção como a terra, capital, equipamento e conhecimento.

Assegurar o envolvimento do cidadão e das comunidades beneficiárias em todas as fases de identificação de projectos, consta, ainda, da lista dos objectivos prioritários definidos no plano de execução das acções de combate à pobreza.