Inclusão social é destaque no Prémio Fórum de jornalismo

  • Jornalistas angolanos no cumprimento das suas actividades
Benguela – A inclusão das mulheres, a realidade social e o potencial impacto da notícia na promoção de mudanças nas comunidades destacam-se entre os critérios de avaliação do Prémio Fórum de Jornalismo apresentado hoje em Benguela.

O referido prémio, promovido pelo Fórum de Mulheres Jornalistas para a Igualdade de Género (FMJIG), visa incentivar a classe a produzir matérias que abordem questões sobre a realidade social das populações, destacando a importância das relacionadas ao género para o desenvolvimento sustentável de Angola.

O acto serviu, também, para apresentar o júri do prémio que é presidido pelo jurista Domingos das Neves e integra os jornalistas Mário Paiva, Silva Candembo, Stella Silveira e Suzana Mendes.

Na ocasião, o presidente do júri informou que a Iª edição do Prémio Fórum vai premiar trabalhos inéditos que tenham sido publicados entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2020, nas categorias de imprensa, digital, televisão e rádio.

O galardão premiará duas categorias, designadamente “Jornalista do Ano” e “Prémio Carreira”, atribuindo a cada vencedor a quantia de um milhão de Kwanzas.

Vai contemplar os trabalhos que se destacarem sobre a situação da mulher rural, iniciativas positivas e boas práticas implementadas nos municípios, inclusão da mulher e os desafios que enfrenta nas comunidades, bem como a situação sócio-económica dos municípios.

"O país pode acelerar o seu processo de desenvolvimento se conseguir assegurar a promoção e o respeito dos direitos, liberdades e garantias fundamentais, com a participação e inclusão dos cidadãos no processo de tomada de decisão", lê-se no regulamento do prémio.

Para o Fórum, Angola precisa de uma sociedade com efectiva igualdade de oportunidades para homens e mulheres, visando alcançar o desenvolvimento sustentável.

O Prémio Fórum de Jornalismo foi lançado oficialmente em Outubro último, em Luanda.

O referido prémio, promovido pelo Fórum de Mulheres Jornalistas para a Igualdade de Género (FMJIG), visa incentivar a classe a produzir matérias que abordem questões sobre a realidade social das populações, destacando a importância das relacionadas ao género para o desenvolvimento sustentável de Angola.

O acto serviu, também, para apresentar o júri do prémio que é presidido pelo jurista Domingos das Neves e integra os jornalistas Mário Paiva, Silva Candembo, Stella Silveira e Suzana Mendes.

Na ocasião, o presidente do júri informou que a Iª edição do Prémio Fórum vai premiar trabalhos inéditos que tenham sido publicados entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2020, nas categorias de imprensa, digital, televisão e rádio.

O galardão premiará duas categorias, designadamente “Jornalista do Ano” e “Prémio Carreira”, atribuindo a cada vencedor a quantia de um milhão de Kwanzas.

Vai contemplar os trabalhos que se destacarem sobre a situação da mulher rural, iniciativas positivas e boas práticas implementadas nos municípios, inclusão da mulher e os desafios que enfrenta nas comunidades, bem como a situação sócio-económica dos municípios.

"O país pode acelerar o seu processo de desenvolvimento se conseguir assegurar a promoção e o respeito dos direitos, liberdades e garantias fundamentais, com a participação e inclusão dos cidadãos no processo de tomada de decisão", lê-se no regulamento do prémio.

Para o Fórum, Angola precisa de uma sociedade com efectiva igualdade de oportunidades para homens e mulheres, visando alcançar o desenvolvimento sustentável.

O Prémio Fórum de Jornalismo foi lançado oficialmente em Outubro último, em Luanda.