Joana Lina pede desculpas aos citadinos pelos amontoados de lixo

  • Governadora de Luanda, Joana Lina deposita coroa de flores no Túmulo do Soldado desconhecido alusivo à comemoração da Batalha do Cuito Cuanavale
Luanda – A governadora da província de Luanda, Joana Lina, pediu esta terça-feira desculpas e paciência aos citadinos, pelos amontoados de lixo em várias artérias da capital angolana.

O gesto foi manifestado hoje, em declarações à imprensa, depois de ter depositado uma coroa do flores no túmulo do Soldado Desconhecido, na rua Primeiro Congresso do MPLA, no distrito urbano da Ingombota (Luanda), para assinalar o Dia da Libertação da África Austral e 33º aniversário da Batalha do Cuito Cuanavale, que hoje se assinala.

Na ocasião, a governadora Joana Lina pediu desculpas aos munícipes, pelos constrangimentos que o lixo está a causar, garantindo que está em fase de conclusão o concurso público para contratação de novas operadoras de limpeza a fim de se inverter o actual quadro, nos próximos dias.

Em relação à efeméride, Joana Lina sublinhou que tem significado histórico para os angolanos, visto que foi com a Batalha do Cuito Cuanavale que Angola marcou o continente africano e em particular a região da África Austral, com uma acção militar que contribuiu para a independência da Namíbia e o fim do “apartheid” (então regime segregacionista) na África do Sul.

Para a governadora, o legado tem de continuar a ser passado a nova geração, no sentido de perceberem o sacrifício consentido pelos mais velhos, para o alcance da paz e preservação da História.

Por seu turno, o secretário-geral da Federação dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria de Angola, brigadeiro na reforma, Vicente Júnior,  disse que a Batalha do Cuito Cuanavale foi de transcendente importância pelo facto de o país granjear prestígio regional e internacional, reconhecido por todos.

O dia 23 de Março de 1988 marca o fim da Batalha do Cuito Cuanavale, no Sudeste de Angola, onde as extinta FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola) e as FAR (Forças Armadas Revolucionárias, de Cuba) confrontaram o exército da maior potência militar regional, a África do Sul, e as forças da UNITA.

   

O gesto foi manifestado hoje, em declarações à imprensa, depois de ter depositado uma coroa do flores no túmulo do Soldado Desconhecido, na rua Primeiro Congresso do MPLA, no distrito urbano da Ingombota (Luanda), para assinalar o Dia da Libertação da África Austral e 33º aniversário da Batalha do Cuito Cuanavale, que hoje se assinala.

Na ocasião, a governadora Joana Lina pediu desculpas aos munícipes, pelos constrangimentos que o lixo está a causar, garantindo que está em fase de conclusão o concurso público para contratação de novas operadoras de limpeza a fim de se inverter o actual quadro, nos próximos dias.

Em relação à efeméride, Joana Lina sublinhou que tem significado histórico para os angolanos, visto que foi com a Batalha do Cuito Cuanavale que Angola marcou o continente africano e em particular a região da África Austral, com uma acção militar que contribuiu para a independência da Namíbia e o fim do “apartheid” (então regime segregacionista) na África do Sul.

Para a governadora, o legado tem de continuar a ser passado a nova geração, no sentido de perceberem o sacrifício consentido pelos mais velhos, para o alcance da paz e preservação da História.

Por seu turno, o secretário-geral da Federação dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria de Angola, brigadeiro na reforma, Vicente Júnior,  disse que a Batalha do Cuito Cuanavale foi de transcendente importância pelo facto de o país granjear prestígio regional e internacional, reconhecido por todos.

O dia 23 de Março de 1988 marca o fim da Batalha do Cuito Cuanavale, no Sudeste de Angola, onde as extinta FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola) e as FAR (Forças Armadas Revolucionárias, de Cuba) confrontaram o exército da maior potência militar regional, a África do Sul, e as forças da UNITA.