Jornalistas formados sobre técnicas de jornalismo investigativo

Saurimo – Vinte jornalistas da província da Lunda Sul participam, desde hoje, sexta-feira, em Saurimo, numa acção formativa sobre as técnicas de jornalismo investigativo em direitos humanos.

A acção formativa, uma iniciativa do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) e a Rádio Eclésia, com apoio da União Europeia, visa dotar os profissionais dos órgãos de comunicação social de bases sólidas para atrair melhores resultados.

Durante dois dias, os participantes vão abordar questões relacionadas com a introdução aos direitos humanos, fundamentos e pesquisa do jornalismo investigativo, redacção e apresentação da informação, elaboração de um plano de investigação, estrutura narrativa do problema, papel da investigação jornalística na promoção dos direitos humanos, dentre outros aspectos.

Na ocasião, o presidente do SJA, Teixeira Cândido, disse que um dos principais objectivos desta formação é reforçar as competências dos profissionais para responder as expectativas da sociedade, visto que se exige um jornalismo de profundidade, capaz de esclarecer os reais factos aos leitores.

“Despertar nos profissionais de informação a necessidade de reflectirem sobre o uso de  instrumentos de gestão do Estado, quer no âmbito Penal, Económico e Social, visto que a vários conjuntos de diplomas que ajudam a fazer um jornalismo mais actuante e de maior profundidade”, acrescentou.

Por sua vez, a directora do Gabinete Provincial da Comunicação Social na Lunda Sul, Lara Kalupeteca, disse que a formação é muito importante, porque poderá potenciar os profissionais de instrumentos necessários para melhor responder ao exercício da profissão.

Apelou aos profissionais maior reflexão sobre comportamentos que em nada abonam a boa e sã comunicação, informação e convivência pacífica, sem prejuízo das liberdades de imprensa e de expressão.

Participam da acção formativa, técnicos do governo local, Agência Angola-Press (ANGOP), Edições Novembro, Televisão Pública de Angola (TPA), emissora provincial do grupo Rádio Nacional de Angola (RNA) e Rádio Eclésia.

 

 

A acção formativa, uma iniciativa do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) e a Rádio Eclésia, com apoio da União Europeia, visa dotar os profissionais dos órgãos de comunicação social de bases sólidas para atrair melhores resultados.

Durante dois dias, os participantes vão abordar questões relacionadas com a introdução aos direitos humanos, fundamentos e pesquisa do jornalismo investigativo, redacção e apresentação da informação, elaboração de um plano de investigação, estrutura narrativa do problema, papel da investigação jornalística na promoção dos direitos humanos, dentre outros aspectos.

Na ocasião, o presidente do SJA, Teixeira Cândido, disse que um dos principais objectivos desta formação é reforçar as competências dos profissionais para responder as expectativas da sociedade, visto que se exige um jornalismo de profundidade, capaz de esclarecer os reais factos aos leitores.

“Despertar nos profissionais de informação a necessidade de reflectirem sobre o uso de  instrumentos de gestão do Estado, quer no âmbito Penal, Económico e Social, visto que a vários conjuntos de diplomas que ajudam a fazer um jornalismo mais actuante e de maior profundidade”, acrescentou.

Por sua vez, a directora do Gabinete Provincial da Comunicação Social na Lunda Sul, Lara Kalupeteca, disse que a formação é muito importante, porque poderá potenciar os profissionais de instrumentos necessários para melhor responder ao exercício da profissão.

Apelou aos profissionais maior reflexão sobre comportamentos que em nada abonam a boa e sã comunicação, informação e convivência pacífica, sem prejuízo das liberdades de imprensa e de expressão.

Participam da acção formativa, técnicos do governo local, Agência Angola-Press (ANGOP), Edições Novembro, Televisão Pública de Angola (TPA), emissora provincial do grupo Rádio Nacional de Angola (RNA) e Rádio Eclésia.