Jovem mata tio por crença ao feiticismo em Caluquembe

Lubango - Um cidadão de 27 anos de idade é acusado de matar a paulada o seu próprio tio, de 64 anos de idade, durante o fim-de-semana, no município de Caluquembe, acusando-o de feiticeiro.

A informação foi avançada hoje, segunda-feira, no Lubango, pelo o director do gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da Polícia Nacional na Huíla, inspector José Chimuco, afirmando que o crime ocorreu na aldeia de Kahindje, na comuna da Negola, a 78 quilómetros da sede municipal.

Detalhou que o facto ocorreu as 22 horas de domingo e, de acordo com testemunhas, a a vítima teria ouvido um barulho no seu curral e saiu para saber o que se passava, dando encontro com o acusado que desferiu-lhe um golpe com o pau na região craniana, causando-lhe morte imediata.

O acusado está deito e será nos próximos dias será presente a um procurador para definição da medida de coação.

Noutro, desenvolvimento José Chimuco destacou a ocorrência de um outro homicídio no mesmo período, de um menor de nove anos, praticado pelo amigo da mesma idade no município da Chibia,  quando ambos estavam no pasto e o menor estando com sede, pediu água e o outro recusou.

Explicou que a criança inconformada com a recusa, arremessou um purrinho que atingiu a vítima na região facial, que dada a gravidade dos ferimentos, o menor não resistiu e morreu dois dias depois.

Fez saber que a polícia já levou o menor sob custódia para o fazer presente ao julgado de menores.

 

A informação foi avançada hoje, segunda-feira, no Lubango, pelo o director do gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da Polícia Nacional na Huíla, inspector José Chimuco, afirmando que o crime ocorreu na aldeia de Kahindje, na comuna da Negola, a 78 quilómetros da sede municipal.

Detalhou que o facto ocorreu as 22 horas de domingo e, de acordo com testemunhas, a a vítima teria ouvido um barulho no seu curral e saiu para saber o que se passava, dando encontro com o acusado que desferiu-lhe um golpe com o pau na região craniana, causando-lhe morte imediata.

O acusado está deito e será nos próximos dias será presente a um procurador para definição da medida de coação.

Noutro, desenvolvimento José Chimuco destacou a ocorrência de um outro homicídio no mesmo período, de um menor de nove anos, praticado pelo amigo da mesma idade no município da Chibia,  quando ambos estavam no pasto e o menor estando com sede, pediu água e o outro recusou.

Explicou que a criança inconformada com a recusa, arremessou um purrinho que atingiu a vítima na região facial, que dada a gravidade dos ferimentos, o menor não resistiu e morreu dois dias depois.

Fez saber que a polícia já levou o menor sob custódia para o fazer presente ao julgado de menores.