Jovens de Quilengues recebem incentivos para fomento do auto-emprego

  • Namibe: Jovens Beneficiários de Kits de pesca e artes e ofícios
Quilengues – Cinquenta jovens do município de Quilengues, província da Huíla, ganharam hoje, segunda-feira, kits para a promoção do auto-emprego, no quadro Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE).

Trata-se de kits de agricultura, construção civil, electricidade, carpintaria, serralharia, canalização, pintura, cabeleireiro, manicure e pedicurie, corte e costura, jardinagem, cozinha e pastelaria.

Para melhor gestão dos meios, os jovens começaram ainda hoje uma formação técnica, promovida pelo Instituto Nacional Emprego e Formação Profissional (INEFOP).

Na ocasião, o administrador municipal de Quilengues, Adriano Alberto Pedro, considerou ser uma acção que vai fazer com que os jovens, sem qualquer tipo de rendimento, promovam o seu negócio e prover o seu auto-sustento.

Por sua vez, o responsável do INEFOP na Huíla, Lourenço Tomás, informou que com o PAPE prevê-se a concepção de microcréditos que vão de 200 mil a sete milhões de Kwanzas, com o reembolso de um ano.

Esclareceu que o microcrédito é um subprograma do PAPE, a semelhança dos programas “Capacita” e “Avanço”, sendo o primeiro de formação e o último uma componente de profissões não muito habituais do plano.

Uma das beneficiárias, Domingas Daniel, disse que vai apostar na pastelaria, pelo que o curso e os meios vão ajudar a empregar outras pessoas, pois pretende criar o seu próprio espaço para comercializar alimentos.

Um outro visado, Arlindo Muatchilala, que recebeu um kit de agricultura, disse que o mesmo vai ajudar a minimizar as dificuldades que tinham em trabalhar o campo, pois deparavam-se com a falta de moto-bomba e mangueiras, mas com o apoio vai ampliar a área de produção.

O PAPE é um programa do Executivo tutelado pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social e prevê formar 30 mil jovens em todo o país, com um orçamento de 21 mil milhões de Kwanzas para a concepção de 10 mil microcréditos e distribuição de 42 mil kits profissionais em todo o país.

 

Trata-se de kits de agricultura, construção civil, electricidade, carpintaria, serralharia, canalização, pintura, cabeleireiro, manicure e pedicurie, corte e costura, jardinagem, cozinha e pastelaria.

Para melhor gestão dos meios, os jovens começaram ainda hoje uma formação técnica, promovida pelo Instituto Nacional Emprego e Formação Profissional (INEFOP).

Na ocasião, o administrador municipal de Quilengues, Adriano Alberto Pedro, considerou ser uma acção que vai fazer com que os jovens, sem qualquer tipo de rendimento, promovam o seu negócio e prover o seu auto-sustento.

Por sua vez, o responsável do INEFOP na Huíla, Lourenço Tomás, informou que com o PAPE prevê-se a concepção de microcréditos que vão de 200 mil a sete milhões de Kwanzas, com o reembolso de um ano.

Esclareceu que o microcrédito é um subprograma do PAPE, a semelhança dos programas “Capacita” e “Avanço”, sendo o primeiro de formação e o último uma componente de profissões não muito habituais do plano.

Uma das beneficiárias, Domingas Daniel, disse que vai apostar na pastelaria, pelo que o curso e os meios vão ajudar a empregar outras pessoas, pois pretende criar o seu próprio espaço para comercializar alimentos.

Um outro visado, Arlindo Muatchilala, que recebeu um kit de agricultura, disse que o mesmo vai ajudar a minimizar as dificuldades que tinham em trabalhar o campo, pois deparavam-se com a falta de moto-bomba e mangueiras, mas com o apoio vai ampliar a área de produção.

O PAPE é um programa do Executivo tutelado pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social e prevê formar 30 mil jovens em todo o país, com um orçamento de 21 mil milhões de Kwanzas para a concepção de 10 mil microcréditos e distribuição de 42 mil kits profissionais em todo o país.