Kwenda cadastra mais de 20 mil famílias na Lunda Norte

  • Ernesto Muangala,  Governador da Provincia da Lunda Norte
Dundo – Vinte e três mil e dez agregados familiares, dos 35 mil e 720 previstos, foram cadastradas na Lunda Norte, para beneficiar do programa de transferências sociais monetárias (Kwenda) este ano.

A informação foi avançada hoje, domingo, pelo governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, quando falava à imprensa a propósito do apoio do Governo as famílias vulneráveis e carentes, acrescentando que aguardam apenas as transferências monetárias.

O governo local, em coordenação com o Fundo de Apoio Social (FAS), está a trabalhar com o Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher para que as transferências monetárias aconteçam no primeiro trimestre deste ano.

Fez saber que o cadastramento vai prosseguir para que se atinja as metas preconizadas na primeira fase (35 mil e 720 famílias), apelando calma aos agregados famílias já cadastrados.

Reiterou que os critérios para a escolha das famílias estão relacionados com as condições de sobrevivência que apresentam, como o nível de rendimento, situação habitacional, acesso a saúde imediata, alimentos, ensino, entre outros.

O objectivo principal do Kwenda é apoiar as famílias em situação de vulnerabilidade e sua inclusão em actividades geradoras de rendimento. Cada agregado beneficia trimestralmente, 25 mil de kwanzas, equivalente a oito mil Kwanzas/mês, durante três anos.

Durante três anos, o programa prevê beneficiar um milhão e 608 mil famílias mais pobres ou vulneráveis de todo países.

A coordenação do Kwenda está a cargo do Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher e a execução ao Fundo de Apoio Social. A supervisão institucional é feita por um grupo técnico de acompanhamento do programa.

 

A informação foi avançada hoje, domingo, pelo governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, quando falava à imprensa a propósito do apoio do Governo as famílias vulneráveis e carentes, acrescentando que aguardam apenas as transferências monetárias.

O governo local, em coordenação com o Fundo de Apoio Social (FAS), está a trabalhar com o Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher para que as transferências monetárias aconteçam no primeiro trimestre deste ano.

Fez saber que o cadastramento vai prosseguir para que se atinja as metas preconizadas na primeira fase (35 mil e 720 famílias), apelando calma aos agregados famílias já cadastrados.

Reiterou que os critérios para a escolha das famílias estão relacionados com as condições de sobrevivência que apresentam, como o nível de rendimento, situação habitacional, acesso a saúde imediata, alimentos, ensino, entre outros.

O objectivo principal do Kwenda é apoiar as famílias em situação de vulnerabilidade e sua inclusão em actividades geradoras de rendimento. Cada agregado beneficia trimestralmente, 25 mil de kwanzas, equivalente a oito mil Kwanzas/mês, durante três anos.

Durante três anos, o programa prevê beneficiar um milhão e 608 mil famílias mais pobres ou vulneráveis de todo países.

A coordenação do Kwenda está a cargo do Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher e a execução ao Fundo de Apoio Social. A supervisão institucional é feita por um grupo técnico de acompanhamento do programa.