Lar de idosos recebe bens de primeira necessidade

  • Ministério da cultura e larga eventos apoiam centro El Bethel
Cuito - O lar de idosos Elavoco Lyhomuenho, localizado na cidade do Cuito (Bié), beneficiou hoje de bens de primeira necessidade e meios de biossegurança, entregues pela Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Dos bens constam arroz, massa alimentar, óleo vegetal, açúcar, peixe seco, máscaras, lixívia, sabão, detergentes em pó, entre outros materiais gastáveis.

Esta é a segunda vez que o lar beneficia deste gesto, vindo de uma Igreja evangélica, quatro meses depois.

O pastor da Igreja Adventista do 7º Dia da Região Norte do Cuito, Adriano Feka, sublinhou que esta doação vai permitir minimizar alguma carência que os idosos enfrentam, apelando às demais organizações da sociedade civil a se juntarem neste gesto.

Já o director do lar, Caridade Massoli, que enalteceu o espírito desta igreja, afirmou que a unidade continua a ser apoiada pelo Governo, que durante este ano aumentou o orçamento mensal para um milhão e 300 mil, contra os 400 mil que recebiam até 2019.

Com este valor, o lar tem ultrapassado as dificuldades da aquisição de alimentos, medicamentos, vestuário e pagamento de outros serviços feitos na instituição.

Nos anos anteriores, os idosos internados no lar enfrentavam muitas dificuldades e dependiam em grande parte de doações feitas pela sociedade civil, para minimizar as suas carências.

Caridade Massoli explicou ainda que existem dois critérios para se acolher um idoso nesse lar, sendo um social e outro económico.

O social é quando se constatar agressões físicas, verbais e outras anomalias por parte dos familiares. Nesses casos, se o idoso demonstrar interesse em sair da família, então o lar o acolhe.

Já o económico acontece quando as famílias enfrentam grandes dificuldades na aquisição de alimentos, vestuário, assistência médica e outros.

Inaugurado em Agosto de 2012, o lar tem capacidade para albergar 156 idosos, mas acolhe apenas 52 pessoas da terceira idade, entre eles 30 do sexo masculino e 22 feminino.

Dos bens constam arroz, massa alimentar, óleo vegetal, açúcar, peixe seco, máscaras, lixívia, sabão, detergentes em pó, entre outros materiais gastáveis.

Esta é a segunda vez que o lar beneficia deste gesto, vindo de uma Igreja evangélica, quatro meses depois.

O pastor da Igreja Adventista do 7º Dia da Região Norte do Cuito, Adriano Feka, sublinhou que esta doação vai permitir minimizar alguma carência que os idosos enfrentam, apelando às demais organizações da sociedade civil a se juntarem neste gesto.

Já o director do lar, Caridade Massoli, que enalteceu o espírito desta igreja, afirmou que a unidade continua a ser apoiada pelo Governo, que durante este ano aumentou o orçamento mensal para um milhão e 300 mil, contra os 400 mil que recebiam até 2019.

Com este valor, o lar tem ultrapassado as dificuldades da aquisição de alimentos, medicamentos, vestuário e pagamento de outros serviços feitos na instituição.

Nos anos anteriores, os idosos internados no lar enfrentavam muitas dificuldades e dependiam em grande parte de doações feitas pela sociedade civil, para minimizar as suas carências.

Caridade Massoli explicou ainda que existem dois critérios para se acolher um idoso nesse lar, sendo um social e outro económico.

O social é quando se constatar agressões físicas, verbais e outras anomalias por parte dos familiares. Nesses casos, se o idoso demonstrar interesse em sair da família, então o lar o acolhe.

Já o económico acontece quando as famílias enfrentam grandes dificuldades na aquisição de alimentos, vestuário, assistência médica e outros.

Inaugurado em Agosto de 2012, o lar tem capacidade para albergar 156 idosos, mas acolhe apenas 52 pessoas da terceira idade, entre eles 30 do sexo masculino e 22 feminino.