Lar de idosos “São Luís” vai beneficiar de obras de restauração

  • Idosos do lar da 3ª idade
Lobito – O Lar de idosos “São Luís”, afecto à Igreja Católica, localizado no bairro da Canata, Lobito, província de Benguela, vai beneficiar de obras de reabilitação profunda, a cargo da empresa portuária da cidade, soube hoje, terça-feira, a Angop.

 

Falando durante uma visita à instituição, o presidente do Conselho de Administração do Porto, Celsos Rosas, comprometeu-se em reparar a infra-estrutura, no âmbito da responsabilidade social da empresa, para que os idosos tenham melhores condições de habitabilidade e vivam com mais dignidade.

O PCA adiantou que uma equipa técnica do Porto já está a fazer o levantamento da infra-estrutura, em avançado estado de degradação, para inclusão do valor da obra no seu orçamento para 2021.

“Asseguro-vos que encontrarão outra realidade quando voltarem a este lugar no próximo ano”, enfatizou.

Por seu turno, o padre Manuel  Calemba, vigário da igreja de “São José”, da Caponte, felicitou o gesto do Porto, parafraseando a madre Teresa de Calcutá quando disse que "a ajuda que se presta parece uma gota no oceano, mas sem aquela gota, o oceano não teria a imensidão que tem”.

Esclareceu ainda que os 76 idosos, maioritariamente sem famílias e doentes, foram acolhidos há alguns anos naquele espaço para serem assistidos com alimentos, medicamentos e noutras necessidades, por não terem meios de subsistência.

“Os apoios para esta gente são provenientes de acções de caridade recolhidas pela igreja, bem como aqueles familiares e amigos que se sentem na obrigação de o fazer”, explicou.

Além da condição de risco, por causa da pandemia, muitos deles foram provisoriamente transferidos para casa de alguns familiares, enquanto o Lar continuar naquele estado, segundo o vigário.

Na ocasião, a delegação portuária,  liderada pelo seu PCA, fez a entrega de quantidades simbólicas de bens alimentares, de biossegurança e roupas de fardo no âmbito do “Natal Solidário”.

 

 

 

Falando durante uma visita à instituição, o presidente do Conselho de Administração do Porto, Celsos Rosas, comprometeu-se em reparar a infra-estrutura, no âmbito da responsabilidade social da empresa, para que os idosos tenham melhores condições de habitabilidade e vivam com mais dignidade.

O PCA adiantou que uma equipa técnica do Porto já está a fazer o levantamento da infra-estrutura, em avançado estado de degradação, para inclusão do valor da obra no seu orçamento para 2021.

“Asseguro-vos que encontrarão outra realidade quando voltarem a este lugar no próximo ano”, enfatizou.

Por seu turno, o padre Manuel  Calemba, vigário da igreja de “São José”, da Caponte, felicitou o gesto do Porto, parafraseando a madre Teresa de Calcutá quando disse que "a ajuda que se presta parece uma gota no oceano, mas sem aquela gota, o oceano não teria a imensidão que tem”.

Esclareceu ainda que os 76 idosos, maioritariamente sem famílias e doentes, foram acolhidos há alguns anos naquele espaço para serem assistidos com alimentos, medicamentos e noutras necessidades, por não terem meios de subsistência.

“Os apoios para esta gente são provenientes de acções de caridade recolhidas pela igreja, bem como aqueles familiares e amigos que se sentem na obrigação de o fazer”, explicou.

Além da condição de risco, por causa da pandemia, muitos deles foram provisoriamente transferidos para casa de alguns familiares, enquanto o Lar continuar naquele estado, segundo o vigário.

Na ocasião, a delegação portuária,  liderada pelo seu PCA, fez a entrega de quantidades simbólicas de bens alimentares, de biossegurança e roupas de fardo no âmbito do “Natal Solidário”.