Líder tocoista considera reconciliação é um processo difícil

  • Afonso Nunes, Bispo da Igreja Simão Toco
Luanda – O bispo da Igreja Tocoista, Afonso Nunes, apontou, sábado, a necessidade de os angolanos primarem pelo diálogo, por o processo de reconciliação ser difícil e exigir o comprometimento de toda sociedade.

O líder religioso, que falava em conferência de imprensa em alusão ao 17 de Abril, dia dos tocoistas, considera que, apesar de as manifestação serem direito consagrado na Constituição, devem obedecer ao estipulado na lei.

Para o religioso, a igreja tem o dever de educar os cidadãos no sentido de primarem pelo civismo, para evitar confrontos com as autoridades.

Em relação a data, afirmou ser o inicio de uma caminhada com muitos obstáculos, mas também com muitos êxitos, cujos resultados estão a vista de todos.

Dom Afonso Nunes realçou que a Igreja Tocoista, apesar das dificuldades decorrentes do momento imposto pela pandemia da Covid-19, continua a contribuir com acções sociais com vista a melhoria das condições de vida das populações.

Rádio Tocoista com novas instalações

A Rádio Tocoista conta com novas instalações, mais modernas, com quatro estúdios.

Seis anos após a sua entrada em funcionamento, esta estação radiofónica conta com quatro estúdios equipados com tecnologia de ponta e uma nova antena que permite o aumento do seu raio de acção.

O bispo Afonso Nunes considerou que este acto constitui o início de uma nova era para esta rádio, aproveitando a ocasião para chamar a atenção a direcção da rádio e aos jornalistas sobre a responsabilidade que têm na divulgação de mensagens de reconciliação.

O religioso destacou a emissão online que permitirá estar conectada em qualquer parte do mundo, factor que aumenta a responsabilidade dos seus funcionários na difusão de mensagens de concórdia e reconciliação.

A propósito, o director da Rádio Tocoista, João Dombaxe, afirmou que, desde a sua implantação, tem tido uma trajectória de resiliência e arrojo devido a crise económica e financeira que abalou o tecido empresarial.

João Dombaxe referiu que, enquanto projecto de comunicação social, é plural, contemplando outras sensibilidades cristãs, é apartidária, edificante ao infundir mudanças de atitudes e de comportamentos.

O líder religioso, que falava em conferência de imprensa em alusão ao 17 de Abril, dia dos tocoistas, considera que, apesar de as manifestação serem direito consagrado na Constituição, devem obedecer ao estipulado na lei.

Para o religioso, a igreja tem o dever de educar os cidadãos no sentido de primarem pelo civismo, para evitar confrontos com as autoridades.

Em relação a data, afirmou ser o inicio de uma caminhada com muitos obstáculos, mas também com muitos êxitos, cujos resultados estão a vista de todos.

Dom Afonso Nunes realçou que a Igreja Tocoista, apesar das dificuldades decorrentes do momento imposto pela pandemia da Covid-19, continua a contribuir com acções sociais com vista a melhoria das condições de vida das populações.

Rádio Tocoista com novas instalações

A Rádio Tocoista conta com novas instalações, mais modernas, com quatro estúdios.

Seis anos após a sua entrada em funcionamento, esta estação radiofónica conta com quatro estúdios equipados com tecnologia de ponta e uma nova antena que permite o aumento do seu raio de acção.

O bispo Afonso Nunes considerou que este acto constitui o início de uma nova era para esta rádio, aproveitando a ocasião para chamar a atenção a direcção da rádio e aos jornalistas sobre a responsabilidade que têm na divulgação de mensagens de reconciliação.

O religioso destacou a emissão online que permitirá estar conectada em qualquer parte do mundo, factor que aumenta a responsabilidade dos seus funcionários na difusão de mensagens de concórdia e reconciliação.

A propósito, o director da Rádio Tocoista, João Dombaxe, afirmou que, desde a sua implantação, tem tido uma trajectória de resiliência e arrojo devido a crise económica e financeira que abalou o tecido empresarial.

João Dombaxe referiu que, enquanto projecto de comunicação social, é plural, contemplando outras sensibilidades cristãs, é apartidária, edificante ao infundir mudanças de atitudes e de comportamentos.