Longonjo ganha novas infra-estruturas sociais

Longonjo – Três escolas do ensino primário com sete salas de aula e dois postos de saúde começaram a ser construídas, esta sexta-feira, no município do Longonjo, província do Huambo, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

As cerimónias de consignação das empreitadas, marcadas com a colocação das primeiras pedras, que simbolizam o arranque oficial das infra-estruturas, foram orientadas pelo administrador desta municipalidade, Bonifácio Vissetaca.

Trata-se de um posto de saúde e duas escolas de sete salas de aula consignadas nas aldeias de Saluimba, Sawetela e na sede comunal da Chilata, ao passo que a aldeia de Dumbo, comuna do Lépi, deverá beneficiar de uma instituição escolar igualmente com sete salas e um posto médico.

Estes projectos sociais, conforme apurou à ANGOP no local, arrancam no quadro da segunda fase de consignação das acções do PIIM, na municipalidade, com prazo de execução de quatro a cinco meses.

As duas unidades sanitárias vão melhorar a assistência médica/medicamentosa de cinco mil habitantes, enquanto as três instituições escolares estão a ser construídas para melhorar o processo de ensino/aprendizagem de dois mil alunos, sendo que alguns deles estão a estudar em condições precárias e outros encontram-se foram do sistema, por insuficiência de espaço.

Ainda no âmbito do PIIM, foram consignadas as obras de construção de uma estufa municipal, para mudas diversas no quadro das políticas de arborização da sede e das duas comunas orgânicas, bem como a entrega de equipamentos diversos, entre enxadas, catanas, vassouras e carros de mãos, para o reforço do saneamento básico na vila municipal.

Estes projectos estão avaliados em mais de 325 milhões de Kwanzas.

Segundo o administrador municipal do Longonjo, Bonifácio Vissetaca, em declarações à imprensa, desde o ano passado, altura em que o PIIM foi implementado no país, numa iniciativa do Presidente da República, João Lourenço, decorrem cinco acções, com uma execução física de 80 por cento.

Fez saber que a municipalidade inscreveu, neste âmbito, 19 acções diversas, com realce para a reabilitação e construção de infra-estruturas escolares e sanitárias, requalificação de ruas, passeios e lancis, bem como a aquisição de equipamentos para o saneamento básico, com um orçamento global acima dos 587 milhões de kwanzas.

De acordo com o gestor, além dos benefícios sociais que os projectos vão gerar depois da sua conclusão, o PIIM no município do Longonjo permitiu, até ao momento, a criação de 495 postos de trabalhos aos jovens locais.

O Longonjo, um dos 11 municípios que compõem a província do Huambo e cuja sede dista a 64 quilómetros do centro desta urbe, é habitado por uma população estimada em 105 mil e 339 habitantes, distribuídos em quatro comunas (Sede, Lepi, Catabola e Chilata) com uma extensão territorial de dois mil e 919 quilómetros quadrados.

As cerimónias de consignação das empreitadas, marcadas com a colocação das primeiras pedras, que simbolizam o arranque oficial das infra-estruturas, foram orientadas pelo administrador desta municipalidade, Bonifácio Vissetaca.

Trata-se de um posto de saúde e duas escolas de sete salas de aula consignadas nas aldeias de Saluimba, Sawetela e na sede comunal da Chilata, ao passo que a aldeia de Dumbo, comuna do Lépi, deverá beneficiar de uma instituição escolar igualmente com sete salas e um posto médico.

Estes projectos sociais, conforme apurou à ANGOP no local, arrancam no quadro da segunda fase de consignação das acções do PIIM, na municipalidade, com prazo de execução de quatro a cinco meses.

As duas unidades sanitárias vão melhorar a assistência médica/medicamentosa de cinco mil habitantes, enquanto as três instituições escolares estão a ser construídas para melhorar o processo de ensino/aprendizagem de dois mil alunos, sendo que alguns deles estão a estudar em condições precárias e outros encontram-se foram do sistema, por insuficiência de espaço.

Ainda no âmbito do PIIM, foram consignadas as obras de construção de uma estufa municipal, para mudas diversas no quadro das políticas de arborização da sede e das duas comunas orgânicas, bem como a entrega de equipamentos diversos, entre enxadas, catanas, vassouras e carros de mãos, para o reforço do saneamento básico na vila municipal.

Estes projectos estão avaliados em mais de 325 milhões de Kwanzas.

Segundo o administrador municipal do Longonjo, Bonifácio Vissetaca, em declarações à imprensa, desde o ano passado, altura em que o PIIM foi implementado no país, numa iniciativa do Presidente da República, João Lourenço, decorrem cinco acções, com uma execução física de 80 por cento.

Fez saber que a municipalidade inscreveu, neste âmbito, 19 acções diversas, com realce para a reabilitação e construção de infra-estruturas escolares e sanitárias, requalificação de ruas, passeios e lancis, bem como a aquisição de equipamentos para o saneamento básico, com um orçamento global acima dos 587 milhões de kwanzas.

De acordo com o gestor, além dos benefícios sociais que os projectos vão gerar depois da sua conclusão, o PIIM no município do Longonjo permitiu, até ao momento, a criação de 495 postos de trabalhos aos jovens locais.

O Longonjo, um dos 11 municípios que compõem a província do Huambo e cuja sede dista a 64 quilómetros do centro desta urbe, é habitado por uma população estimada em 105 mil e 339 habitantes, distribuídos em quatro comunas (Sede, Lepi, Catabola e Chilata) com uma extensão territorial de dois mil e 919 quilómetros quadrados.