Lubango precisa mais 21 milhões de KZ para saneamento

  • Huíla:  Pormenor da cidade do Lubango à noite
Lubango - A administração do Lubango, província da Huíla, precisa mensalmente de 35 milhões de kwanzas para melhorar o saneamento básico da cidade.

O valor é necessário para aumentar os meios rolantes para recolha, transporte e tratamento de lixo, assim como expandir o serviço.

Actualmente a Administração Municipal do Lubango gasta 14 milhões de kwanzas/mês   para a limpeza da cidade.

No plano de gestão do lixo na cidade adoptou-se o modelo de recolha de lixo porta a porta e em paralelo está a ser usado o de remoção do resíduo dos contentores e bacias. Aos fins-de-semana mobiliza os seus parceiros para a realização de campanhas de limpeza mais abrangentes.

O serviço de recolha porta a porta é remunerado por via do pagamento dos clientes, de 200 kwanzas semanal aos operadores, para a cobertura dos custos operacionais de serviço.

Trezentas e 41 toneladas de lixo são recolhidas por dia e depositado no aterro sanitário do Luyovo, onde é tratado. 

Em declarações hoje à Angop, o administrador-adjunto do Lubango para os serviços Técnicos e Infra-estruturas, Orlando Brás, afirmou que os 35 milhões de kwanzas  serviria para manter e tornar mais abrangente a recolha e gestão do lixo.

“O feedback é positivo, quase que não encontramos muitos resíduos na cidade. Temos mais ou menos uma área de 50 quilómetros quadrados que estão a ser cobertos por este modelo. Apesar disso precisamos melhorar o serviço, um trabalho que precisa de mais meios para alargar a actividade e cobrir pontos que ainda temos dificuldade”, disse.

O município do Lubango, capital da província da Huíla, tem uma população estimada em 960 mil e 558 habitantes.

O valor é necessário para aumentar os meios rolantes para recolha, transporte e tratamento de lixo, assim como expandir o serviço.

Actualmente a Administração Municipal do Lubango gasta 14 milhões de kwanzas/mês   para a limpeza da cidade.

No plano de gestão do lixo na cidade adoptou-se o modelo de recolha de lixo porta a porta e em paralelo está a ser usado o de remoção do resíduo dos contentores e bacias. Aos fins-de-semana mobiliza os seus parceiros para a realização de campanhas de limpeza mais abrangentes.

O serviço de recolha porta a porta é remunerado por via do pagamento dos clientes, de 200 kwanzas semanal aos operadores, para a cobertura dos custos operacionais de serviço.

Trezentas e 41 toneladas de lixo são recolhidas por dia e depositado no aterro sanitário do Luyovo, onde é tratado. 

Em declarações hoje à Angop, o administrador-adjunto do Lubango para os serviços Técnicos e Infra-estruturas, Orlando Brás, afirmou que os 35 milhões de kwanzas  serviria para manter e tornar mais abrangente a recolha e gestão do lixo.

“O feedback é positivo, quase que não encontramos muitos resíduos na cidade. Temos mais ou menos uma área de 50 quilómetros quadrados que estão a ser cobertos por este modelo. Apesar disso precisamos melhorar o serviço, um trabalho que precisa de mais meios para alargar a actividade e cobrir pontos que ainda temos dificuldade”, disse.

O município do Lubango, capital da província da Huíla, tem uma população estimada em 960 mil e 558 habitantes.