Mais de sete mil famílias beneficiam de água no Belas

Luanda- Sete mil 833 famílias residentes no bairro Mundial começam a beneficiar, a partir do mês de Agosto, de água potável depois da conclusão de um furo artesiano iniciado hoje (sexta-feira), no distrito do Morro dos Veados, enquadrado no Programa de Combate à Pobreza realizado pela administração do município de Belas.

O projecto  orçado em 17 milhões 930 mil Kwanzas, terá duas fases,  a de perfuração e o  tratamento da àgua.  Os munícipes poderão,  nesta primeira fase, usar água apenas para lavar a roupa, limpeza e rega,  para o consumo terão  de esperar a segunda fase, quando forem instalados os chafarizes.

 Em declarações à ANGOP a directora da Energia e Água do município de Belas, Felisbina Ferreira, deu a conhecer que o bairro tem muita carência de água, e como não há previsão imediata dos projectos da EPAL para a zona, a administração optou pelos furos artesianos para minimizar a procura de água.

 A responsável referiu que a perfuração do solo para obter àgua será feito em quatro distritos do município de Bela, nomeadamente Quenguela , Barra do kwanza ,Vila Verde e Morro dos veados , devendo a distribuição ser feita por meio de chafarizes.  
  
A moradora Marcela João, satisfeita com a iniciativa da administração, disse que os munícipes compram água a um  preço que varia entre os 100 aos 120 kwanzas uma vasilha de 20 litros e espera que a partir de Agosto esteja minimizada a  procura deste liquido.  

Já Justo Fonseca espera que com a entrada deste projecto o preço da água reduza e que os moradores do bairro Mundial colaborem  para preservar este bem público que está a  ser erguido na região.

O projecto  orçado em 17 milhões 930 mil Kwanzas, terá duas fases,  a de perfuração e o  tratamento da àgua.  Os munícipes poderão,  nesta primeira fase, usar água apenas para lavar a roupa, limpeza e rega,  para o consumo terão  de esperar a segunda fase, quando forem instalados os chafarizes.

 Em declarações à ANGOP a directora da Energia e Água do município de Belas, Felisbina Ferreira, deu a conhecer que o bairro tem muita carência de água, e como não há previsão imediata dos projectos da EPAL para a zona, a administração optou pelos furos artesianos para minimizar a procura de água.

 A responsável referiu que a perfuração do solo para obter àgua será feito em quatro distritos do município de Bela, nomeadamente Quenguela , Barra do kwanza ,Vila Verde e Morro dos veados , devendo a distribuição ser feita por meio de chafarizes.  
  
A moradora Marcela João, satisfeita com a iniciativa da administração, disse que os munícipes compram água a um  preço que varia entre os 100 aos 120 kwanzas uma vasilha de 20 litros e espera que a partir de Agosto esteja minimizada a  procura deste liquido.  

Já Justo Fonseca espera que com a entrada deste projecto o preço da água reduza e que os moradores do bairro Mundial colaborem  para preservar este bem público que está a  ser erguido na região.