MASFAMU defende projectos que protejam idosos

  • Ministra da Acção Social Família e Promoção da Mulher, Faustina Inglês
Luanda - A sociedade civil foi desafiada, segunda-feira, em Luanda, a desenvolver projectos que protejam e permitam a pessoa idosa demonstrar a sua capacidade, com vista a ser útil na família e na comunidade.

O repto foi lançado pela ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, que falava na abertura de uma videoconferência com o lema "Avô, amigo da comunidade", em alusão ao Dia Nacional do Idoso, assinalado segunda-feira.

Com estas actividades, adiantou a governante, os mais velhos vêem garantido o bem-estar e protegidos de situações de risco.

Aventou igualmente a possibilidade desses cidadãos serem agrupados em cooperativas, com vista a contribuírem para o crescimento económico da sua localidade e do país, em geral.

A ministra notou que os idosos são fontes de sabedoria e experiências que influenciam “quem somos e quem aspiramos ser”.

Por outro lado, apelou para a importância de intervirem na cadeia de cuidados aos idosos em prol da salvaguarda da sua dignidade, respeito, acolhimento, tratamento e assistência médica, com alimentação saudável, prática de exercícios físicos, para melhoria do estilo de vida.

A intenção do Executivo é fazer com que os idosos permaneçam na família, sobretudo neste período de calamidade pública, e não serem acolhidos em lares.

Para o médico e director clínico do Hospital Psiquiátrico de Luanda, Jaime Sampaio, o mundo está a viver uma calamidade e tendo em conta a fragilidade da pessoa da 3ª idade, a imunidade do idoso para qualquer doença é uma porta de entrada à saúde mental.

Referiu que, dado o confinamento, o Hospital Psiquiátrico tem registado muitos casos de perturbações mentais, devido à dificuldade na mobilização.

Explicou que, devido ao aumento do tédio, estes têm aumentado o quadro depressivo e alucinação, registando em média a entrada no referido hospital de um a dois casos por dia.  

Dentro do projecto de apoio ao idoso na comunidade e nos lares da 3ª idade, o MASFAMU acompanha 18 lares, quatro casas-lar em 12 províncias do país, perfazendo um total de 941 idosos, dos quais 525 mulheres e 416 homens.

Em termos de assistência à pessoa idosa vulnerável, o MASFAMU acompanhou 24 mil e 223 Idosos entre Janeiro e Setembro deste ano.

A data foi instituída em sinal de respeito e reconhecimento dos feitos de milhares de homens e mulheres que se encontram na terceira idade, em prol do progresso e engrandecimento da Nação.

O repto foi lançado pela ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, que falava na abertura de uma videoconferência com o lema "Avô, amigo da comunidade", em alusão ao Dia Nacional do Idoso, assinalado segunda-feira.

Com estas actividades, adiantou a governante, os mais velhos vêem garantido o bem-estar e protegidos de situações de risco.

Aventou igualmente a possibilidade desses cidadãos serem agrupados em cooperativas, com vista a contribuírem para o crescimento económico da sua localidade e do país, em geral.

A ministra notou que os idosos são fontes de sabedoria e experiências que influenciam “quem somos e quem aspiramos ser”.

Por outro lado, apelou para a importância de intervirem na cadeia de cuidados aos idosos em prol da salvaguarda da sua dignidade, respeito, acolhimento, tratamento e assistência médica, com alimentação saudável, prática de exercícios físicos, para melhoria do estilo de vida.

A intenção do Executivo é fazer com que os idosos permaneçam na família, sobretudo neste período de calamidade pública, e não serem acolhidos em lares.

Para o médico e director clínico do Hospital Psiquiátrico de Luanda, Jaime Sampaio, o mundo está a viver uma calamidade e tendo em conta a fragilidade da pessoa da 3ª idade, a imunidade do idoso para qualquer doença é uma porta de entrada à saúde mental.

Referiu que, dado o confinamento, o Hospital Psiquiátrico tem registado muitos casos de perturbações mentais, devido à dificuldade na mobilização.

Explicou que, devido ao aumento do tédio, estes têm aumentado o quadro depressivo e alucinação, registando em média a entrada no referido hospital de um a dois casos por dia.  

Dentro do projecto de apoio ao idoso na comunidade e nos lares da 3ª idade, o MASFAMU acompanha 18 lares, quatro casas-lar em 12 províncias do país, perfazendo um total de 941 idosos, dos quais 525 mulheres e 416 homens.

Em termos de assistência à pessoa idosa vulnerável, o MASFAMU acompanhou 24 mil e 223 Idosos entre Janeiro e Setembro deste ano.

A data foi instituída em sinal de respeito e reconhecimento dos feitos de milhares de homens e mulheres que se encontram na terceira idade, em prol do progresso e engrandecimento da Nação.