Ministra admite viabilizar projecto jovem  “E-MASTER”.

  • Ministra da juventude e desporto Ana Paula Sacramento (centro), recebe mentores do projeco IMOSTER
Luanda - A Ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, manifestou, nesta segunda-feira, em Luanda, disponibilidade em apoiar o projecto desenvolvido por jovens denominado  “E-MASTER”, que visa impulsionar o ensino à distância.

Esta posição foi assumida após a presentação do projecto, pelos jovens Evandro Nhoca e Veloso Londa, engenheiros informáticos formados no exterior do país, tendo a ministra afirmado que pretende apoiar os jovens a registar e desenvolver o projecto.

O trabalho será desenvolvido em parceria com os Ministérios da Educação, Ensino Superior, Telecomunicações, Tecnologia de Informação e Comunicação Social.

Neste contexto, considerou ser um projecto ambicioso que o país precisa em momento da pandemia da Covid-19.

“Vamos continuar a trabalhar com os jovens, uma vez que na dificuldade conseguirão encontrar uma forma de desenvolvimento que deve ser aproveitada e apoiada”, referiu.

De acordo com a governante, existem alguns jovens que procuram o Ministério em busca de apoio e têm sido direccionados.

“Nós recebemos os jovens e depois não só encaminhamos, mas também acompanhamos”, referiu. 

Formado em computação no Quénia, Gildro Nhoca referiu que a plataforma visa facilitar o ensino à distância em Angola, com uma capacidade de agregar universidades, centros de formação, escolas do ensino básico e técnico-profissional.

“O nosso foco é ajudar a diversificar por meio de tecnologia o ensino no país, no sentido de cada um estudar ou aprender onde estiver”, referiu.

O projecto “E-MASTER” foi criado o ano passado, no sentido de desenvolver uma plataforma para agregar os Centros de Formação, mas devido à pandemia da Covid-19, os jovens tiveram de mudar a ideia inicial, transformando-o num sistema capaz de ajudar o ensino em Angola.  

Trata-se de uma plataforma de ensino á distância desenvolvida por jovens estudantes angolanos provenientes do Quénia e de Cuba, respectivamente, e que visa dinamizar o aprendizado e a investigação nos sectores do ensino e empresarial, por via da tecnologia.

 

 

Esta posição foi assumida após a presentação do projecto, pelos jovens Evandro Nhoca e Veloso Londa, engenheiros informáticos formados no exterior do país, tendo a ministra afirmado que pretende apoiar os jovens a registar e desenvolver o projecto.

O trabalho será desenvolvido em parceria com os Ministérios da Educação, Ensino Superior, Telecomunicações, Tecnologia de Informação e Comunicação Social.

Neste contexto, considerou ser um projecto ambicioso que o país precisa em momento da pandemia da Covid-19.

“Vamos continuar a trabalhar com os jovens, uma vez que na dificuldade conseguirão encontrar uma forma de desenvolvimento que deve ser aproveitada e apoiada”, referiu.

De acordo com a governante, existem alguns jovens que procuram o Ministério em busca de apoio e têm sido direccionados.

“Nós recebemos os jovens e depois não só encaminhamos, mas também acompanhamos”, referiu. 

Formado em computação no Quénia, Gildro Nhoca referiu que a plataforma visa facilitar o ensino à distância em Angola, com uma capacidade de agregar universidades, centros de formação, escolas do ensino básico e técnico-profissional.

“O nosso foco é ajudar a diversificar por meio de tecnologia o ensino no país, no sentido de cada um estudar ou aprender onde estiver”, referiu.

O projecto “E-MASTER” foi criado o ano passado, no sentido de desenvolver uma plataforma para agregar os Centros de Formação, mas devido à pandemia da Covid-19, os jovens tiveram de mudar a ideia inicial, transformando-o num sistema capaz de ajudar o ensino em Angola.  

Trata-se de uma plataforma de ensino á distância desenvolvida por jovens estudantes angolanos provenientes do Quénia e de Cuba, respectivamente, e que visa dinamizar o aprendizado e a investigação nos sectores do ensino e empresarial, por via da tecnologia.