Ministra de Estado reafirma aposta na assistência social

  • Ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira
Luanda – A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, manifestou, esta quarta-feira, a intenção do Executivo reforçar as acções de apoio ao empoderamento das  famílias em 2021, no âmbito do programa  governamental no domínio social.

Carolina Cerqueira, que falava durante uma audiência virtual concedida à Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani, destacou a contínua execução de programas que mitiguem as dificuldades das famílias e ajudem a criar recursos para a sua autosustentação e o combate à pobreza.

A ministra de Estado referiu, igualmente, o desejo de cooperar com o sistema da ONU na criação e fortalecimento de iniciativas e projectos que favoreçam a integração dos jovens com a criação de emprego e inclusão através do trabalho socialmente útil.

A governante destacou ainda as acções ligadas à igualdade do género, empoderamento da mulher e, em particular, das jovens raparigas e o programa aprendizagem para todos.

A msnistra manifestou, também, o desejo de reforçar a cooperação com o sistema da ONU para o fortalecimento da capacidade nacional de luta contra o HIV/ SIDA em Angola e do sistema de saúde em geral, para responder à crise sanitária mundial.

Sobre o apoio às acções nacionais de resposta à Covid-19, Carolina Cerqueira agradeceu a assistência dos organismos do Sistema das Nações Unidas, em particular da OMS, no âmbito da gestão inclusiva e multisectorial  da crise e resposta à  Covid-19 , que tem permitido mitigar os efeitos negativos do seu impacto sócio económico na vida das populações e a sua recuperação.

Durante o encontro, as duas entidades abordaram, igualmente, questões relacionadas com a realização da 2ª Edição da Bienal de Luanda - Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, em 2021, e o apoio do PNUD no esforço pela diversificação da economia e o desenvolvimento económico sustentado.

Em agenda esteve também o apoio do PNUD, UNICEF e OMS aos ministérios da Saúde e da Educação, aos programas dos direitos humanos, assistência técnica à formação dos quadros da Polícia Nacional, assim como a elaboração de programas para o fortalecimento dos direitos humanos e a legalidade na governação económica.

As duas partes comprometeram-se em prosseguir em 2021 o mapeamento e avaliação dos programas sociais em curso nos vários domínios para promover o bem-estar das famílias e a protecção social às populações mais vulneráveis, particularmente as crianças.

A representante da ONU em Angola congratulou-se com o estado das relações e identificou a educação e o treinamento de pessoal para o combate contra a corrupção para o reforço da cooperação.

 

 

Carolina Cerqueira, que falava durante uma audiência virtual concedida à Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani, destacou a contínua execução de programas que mitiguem as dificuldades das famílias e ajudem a criar recursos para a sua autosustentação e o combate à pobreza.

A ministra de Estado referiu, igualmente, o desejo de cooperar com o sistema da ONU na criação e fortalecimento de iniciativas e projectos que favoreçam a integração dos jovens com a criação de emprego e inclusão através do trabalho socialmente útil.

A governante destacou ainda as acções ligadas à igualdade do género, empoderamento da mulher e, em particular, das jovens raparigas e o programa aprendizagem para todos.

A msnistra manifestou, também, o desejo de reforçar a cooperação com o sistema da ONU para o fortalecimento da capacidade nacional de luta contra o HIV/ SIDA em Angola e do sistema de saúde em geral, para responder à crise sanitária mundial.

Sobre o apoio às acções nacionais de resposta à Covid-19, Carolina Cerqueira agradeceu a assistência dos organismos do Sistema das Nações Unidas, em particular da OMS, no âmbito da gestão inclusiva e multisectorial  da crise e resposta à  Covid-19 , que tem permitido mitigar os efeitos negativos do seu impacto sócio económico na vida das populações e a sua recuperação.

Durante o encontro, as duas entidades abordaram, igualmente, questões relacionadas com a realização da 2ª Edição da Bienal de Luanda - Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, em 2021, e o apoio do PNUD no esforço pela diversificação da economia e o desenvolvimento económico sustentado.

Em agenda esteve também o apoio do PNUD, UNICEF e OMS aos ministérios da Saúde e da Educação, aos programas dos direitos humanos, assistência técnica à formação dos quadros da Polícia Nacional, assim como a elaboração de programas para o fortalecimento dos direitos humanos e a legalidade na governação económica.

As duas partes comprometeram-se em prosseguir em 2021 o mapeamento e avaliação dos programas sociais em curso nos vários domínios para promover o bem-estar das famílias e a protecção social às populações mais vulneráveis, particularmente as crianças.

A representante da ONU em Angola congratulou-se com o estado das relações e identificou a educação e o treinamento de pessoal para o combate contra a corrupção para o reforço da cooperação.