MINTTICS quer áreas próximas de infra-estruturas das telecomunicações desminadas

  • MASFAMU e MINTTICS abordagem processo de desminagem
Luanda – O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, apontou, nesta quinta-feira, em Luanda, a necessidade da desminagem de áreas circundantes às infra-estruturas do sector, para a expansão dos serviços de radiodifusão e televisão.

Manuel Homem, que falava no final de um encontro com a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, disse existirem, nas províncias da Huíla, Cuanza Norte e Cuanza Sul, zonas já identificadas para serem desminadas, a fim de serem instaladas infra-estruturas da Rádio Nacional de Angola (RNA) e TPA (Televisão Pública de Angola).

Segundo o ministro, equipas técnicas vão fazer o enquadramento financeiro e a definição do tempo de trabalho para a materialização do processo, sobretudo na Tundavala (província da Huíla) onde existe um campo de antenas.

A propósito da desminagem do país, o embaixador do Japão acreditado em Angola, Maruhashi Juro, que foi recebido em audiência pela ministra Faustina Alves, afirmou que o seu país continuará a apoiar o governo angolano no processo em curso.

O diplomata nipónico disse terem assinado, em Janeiro deste ano, um acordo de doação financeira de dois milhões de dólares, para que Angola adquira equipamentos para desminagem e peças de reposição para as máquinas existentes. 

Por seu turno, Faustina Alves afirmou estarem definidas estratégias e formas comuns para solução das questões inerentes a desminagem, compreendendo a prioridade e a importância de se estar ligado a um objectivo comum.

Em relação ao encontro com o comissário da União Africana para os Direitos e Bem-estar da Criança, Wilson de Almeida Adão, a ministra disse terem passado em análise os programas, prioridades, experiências, boas práticas para ajudar outros países da região e buscar experiências de outros países sobre a protecção integral da criança.

Por sua vez, Wilson de Almeida Adão manifestou a disponibilidade para ajudar a melhorar os índices de protecção integral da criança no país, bem como dar sugestões para que o interesse da criança seja devidamente respeitado.

Wilson de Almeida Adão avançou ter sugerido maior trabalho integrado interministerial e reforço de verbas ao MASFAMU, para a redução do elevado índice de casos de abuso sexual de menores e dar resposta aos desafios das crianças em situação de pobreza multidimensional.

Manuel Homem, que falava no final de um encontro com a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, disse existirem, nas províncias da Huíla, Cuanza Norte e Cuanza Sul, zonas já identificadas para serem desminadas, a fim de serem instaladas infra-estruturas da Rádio Nacional de Angola (RNA) e TPA (Televisão Pública de Angola).

Segundo o ministro, equipas técnicas vão fazer o enquadramento financeiro e a definição do tempo de trabalho para a materialização do processo, sobretudo na Tundavala (província da Huíla) onde existe um campo de antenas.

A propósito da desminagem do país, o embaixador do Japão acreditado em Angola, Maruhashi Juro, que foi recebido em audiência pela ministra Faustina Alves, afirmou que o seu país continuará a apoiar o governo angolano no processo em curso.

O diplomata nipónico disse terem assinado, em Janeiro deste ano, um acordo de doação financeira de dois milhões de dólares, para que Angola adquira equipamentos para desminagem e peças de reposição para as máquinas existentes. 

Por seu turno, Faustina Alves afirmou estarem definidas estratégias e formas comuns para solução das questões inerentes a desminagem, compreendendo a prioridade e a importância de se estar ligado a um objectivo comum.

Em relação ao encontro com o comissário da União Africana para os Direitos e Bem-estar da Criança, Wilson de Almeida Adão, a ministra disse terem passado em análise os programas, prioridades, experiências, boas práticas para ajudar outros países da região e buscar experiências de outros países sobre a protecção integral da criança.

Por sua vez, Wilson de Almeida Adão manifestou a disponibilidade para ajudar a melhorar os índices de protecção integral da criança no país, bem como dar sugestões para que o interesse da criança seja devidamente respeitado.

Wilson de Almeida Adão avançou ter sugerido maior trabalho integrado interministerial e reforço de verbas ao MASFAMU, para a redução do elevado índice de casos de abuso sexual de menores e dar resposta aos desafios das crianças em situação de pobreza multidimensional.