Moxico e Cuando Cubango com aeronave para áreas inacessíveis

  • Avião da Taag Durante o embarque de passageiros
Luena – O Executivo angolano atribuiu uma aeronave especial para apoiar os governos provinciais do Moxico e Cuando Cubango na implementação e fiscalização das políticas públicas nas zonas de difícil acesso por terra.

Ambas províncias do Leste e sudeste de Angola ocupam um espaço terrestre de mais de 30 por cento do território nacional, com 223 023 km² (Moxico, mais de 16 por cento) e 199 049 km² (Cuando Cubango, 15.9 por cento), sendo a primeira e a segunda maiores províncias do país.

Essas duas províncias de Angola enfrentam inúmeras dificuldades em termos de circulação rodoviária devido à inexistência de vias de acesso entre as capitais com o resto dos municípios.

Alguns municípios, por exemplo, distam entre 519 a 700 quilómetros das sedes províncias, como são os casos do Alto Zambeze, no Moxico, e Rivungo, no Cuando Cubango, onde o tempo de viagem, na época chuvosa, chega a durar cerca de uma semana de carro.

Em declarações hoje à imprensa, o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, que trabalhou em Cameia e Luacano, ao destacar a iniciativa do Executivo, informou que a aeronave estará baseada na cidade de Luena.

“Essa aeronave vai permitir, também, dar resposta a situações emergenciais nos municípios mais longínquos das duas províncias”, reforçou o governador provincial.

Ambas províncias do Leste e sudeste de Angola ocupam um espaço terrestre de mais de 30 por cento do território nacional, com 223 023 km² (Moxico, mais de 16 por cento) e 199 049 km² (Cuando Cubango, 15.9 por cento), sendo a primeira e a segunda maiores províncias do país.

Essas duas províncias de Angola enfrentam inúmeras dificuldades em termos de circulação rodoviária devido à inexistência de vias de acesso entre as capitais com o resto dos municípios.

Alguns municípios, por exemplo, distam entre 519 a 700 quilómetros das sedes províncias, como são os casos do Alto Zambeze, no Moxico, e Rivungo, no Cuando Cubango, onde o tempo de viagem, na época chuvosa, chega a durar cerca de uma semana de carro.

Em declarações hoje à imprensa, o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, que trabalhou em Cameia e Luacano, ao destacar a iniciativa do Executivo, informou que a aeronave estará baseada na cidade de Luena.

“Essa aeronave vai permitir, também, dar resposta a situações emergenciais nos municípios mais longínquos das duas províncias”, reforçou o governador provincial.