Moxico-Velho com centro multifuncional  

Luena – Um centro multifuncional onde serão ministradas aulas de corte e costura, informática, culinária, nutrição infantil e alfabetização foi, nesta quinta-feira, aberto na regedoria do Moxico-Velho, arredores da cidade do Luena.

O centro, que prevê beneficiar mais de 300 formandos, em dois períodos, possui três salas de aula, com capacidade para 35 pessoas cada, uma biblioteca para estimular a leitura e investigação científica, cultural, social e religiosa, refeitório, cozinha e balneário.

Construído em um ano pela Diocese do Luena, o centro foi baptizado com o nome de “Padre Estêvão”, homenageando um sacerdote português falecido recentemente, que dedicou 43 anos na administração da paróquia de Fátima, instalada naquela aldeia.

A infra-estrutura social ocupa um espaço de 400 metros quadrados e consumiu Akz 60 milhões.

Na ocasião, o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, destacou o contributo da Igreja Católica em construir um centro social que vai beneficiar as populações carentes, bem como o combate à pobreza e resgate de valores morais.

Já o bispo da Diocese do Luena, Dom Tirso Blanco, agradeceu o apoio prestado pela fundação Mamoré, financiador do projecto, tendo anunciado para este ano, a construção de um centro similar no município dos Bundas, sul do Luena.

Por sua vez, o arcebispo de Saurimo, Dom José Manuel Imbamba, disse que a implementação de infra-estruturas religiosas e sociais no Moxico-velho marca “o ressurgimento dos escombros” de uma localidade considerada como o berço da evangelização da província do Moxico.

As formações no centro social do Moxico-velho serão acompanhadas pelas irmãs Filhas da Santa Maria de Guadalupe (congregação mexicana), que, além deste programa, auxiliam no atendimento de doentes, sobretudo na evacuação para os hospitais.

Para além do Moxico-velho foram igualmente construídos centros multifuncionais, nos municípios do Lumeje-Cameia e de Camanongue.

Localizada 17 quilómetros a sul da cidade do Luena, a localidade do Moxico -Velho, tem uma população estimada em cerca de sete mil habitantes.

O centro, que prevê beneficiar mais de 300 formandos, em dois períodos, possui três salas de aula, com capacidade para 35 pessoas cada, uma biblioteca para estimular a leitura e investigação científica, cultural, social e religiosa, refeitório, cozinha e balneário.

Construído em um ano pela Diocese do Luena, o centro foi baptizado com o nome de “Padre Estêvão”, homenageando um sacerdote português falecido recentemente, que dedicou 43 anos na administração da paróquia de Fátima, instalada naquela aldeia.

A infra-estrutura social ocupa um espaço de 400 metros quadrados e consumiu Akz 60 milhões.

Na ocasião, o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, destacou o contributo da Igreja Católica em construir um centro social que vai beneficiar as populações carentes, bem como o combate à pobreza e resgate de valores morais.

Já o bispo da Diocese do Luena, Dom Tirso Blanco, agradeceu o apoio prestado pela fundação Mamoré, financiador do projecto, tendo anunciado para este ano, a construção de um centro similar no município dos Bundas, sul do Luena.

Por sua vez, o arcebispo de Saurimo, Dom José Manuel Imbamba, disse que a implementação de infra-estruturas religiosas e sociais no Moxico-velho marca “o ressurgimento dos escombros” de uma localidade considerada como o berço da evangelização da província do Moxico.

As formações no centro social do Moxico-velho serão acompanhadas pelas irmãs Filhas da Santa Maria de Guadalupe (congregação mexicana), que, além deste programa, auxiliam no atendimento de doentes, sobretudo na evacuação para os hospitais.

Para além do Moxico-velho foram igualmente construídos centros multifuncionais, nos municípios do Lumeje-Cameia e de Camanongue.

Localizada 17 quilómetros a sul da cidade do Luena, a localidade do Moxico -Velho, tem uma população estimada em cerca de sete mil habitantes.